quinta-feira, 14 de julho de 2016

Revisando o Reiki...


Deparei-me, para minha total surpresa, com essas perguntas num site americano sobre temas holísticos. Não houve resposta a nenhuma delas. Era um entrevista onde um praticante de xamanismo questionava a eficiência do reiki como um tratamento terapêutico da Nova Era. Decidi compartilhar isso com os meus leitores, e responder a essas perguntas tendo como base meus exatos vinte anos de prática reiki.

O método de tratamento e iniciação Reiki não é simples demais?

Não entendo porque a simplicidade seria motivo para a desconfiança da eficiência da técnica reiki de terapia. A simplicidade é o fluxo das coisas. Quando tudo parece correr bem, costumamos dizer que foi simples... Não no sentido de medíocre, mas no sentido de natural, fácil, ou bom... Ou tudo isso junto! Por que uma técnica terapêutica de relaxamento, centramento e abastecimento de energia vital deveria ser complexa? Isso lhe daria mais seriedade? No taoismo se diz que quanto mais próximos estamos do fluxo da natureza mais estamos centrados no Tao (o Todo). A simplicidade é o fluxo da natureza, e a natureza é simples em sua expressão, não importando o quão complexa seja sua estrutura interior. O reiki é assim.

O fluxo da energia Ki presente em todo o Universo é contínuo,
livre e simples em sua expressão e manifestação.

Parece-me que as pessoas que só se sentem aptas depois de muitos meses, ou anos de preparação, estão mais preocupadas com a recepção dos outros, com o que vão dizer... Ou seja, estão dominadas pelo ego! Querem bater no peito dizendo “eu sou habilitado porque suei para ter isso!”... Para muitos isso é incrível, não? Nossa cultura dá muita importância ao esforço e ao sofrimento. Mas será mesmo que precisa tanto esforço para se tocar sinceramente alguém e compartilhar com ele a energia vital do Universo? A simplicidade da prática reiki é que viabiliza que ele seja também um caminho meditativo e espiritual. O reiki não envolve a compreensão de complexos sistemas simbólicos, aforismos milenares, cálculos e interpretação de nada! Reiki é a troca de energia vital Universal entre duas pessoas de modo eficiente e seguro para ambos. A sintonização, ou iniciação, reiki cria condições para essa eficiência e segurança desde que praticada por um Mestre habilitado.

As iniciações em Reiki não são “rápidas” demais?

Exatamente por ser de natureza simples o reiki não requer longos ritos de iniciação. Por isso que seus procedimentos iniciáticos também são chamados de “sintonizações”, o que significa que o iniciado é sintonizado ao fluxo da corrente Universal de energia Ki que percorre o nosso mundo assim como todo o Universo. E é, a partir disso, capaz de compartilhar essa energia com outras pessoas, ou mesmo de iniciá-las, no caso de ele ter sido iniciado no Mestrado.

Justamente a simplicidade do reiki é que faz com que
o seu nível I seja acessível até mesmo a crianças!
Qualquer um pode se tornar um terapeuta Reiki logo após a iniciação no nível básico?

Sim, pode sim. No nível I de reiki (básico) o iniciado não recebe símbolos, mas os têm colocados em seu campo energético. Assim ele pode transmitir a energia vital a partir do toque de suas mãos. Ele precisa estar presente para passar a energia Ki Universal. Somente após a iniciação no nível II é que será possível mover essa energia através do tempo e do espaço, podendo assim enviar reiki para pessoas distantes ou para situações no passado ou no futuro. A prática constante é que torna um reikiano mais habilitado e alinhado com o processo terapêutico desse sistema de tratamento. Quanto mais prática, mais centramento, serenidade interior, domínio sobre a própria mente, abertura íntima e ampliação da percepção intuitiva.

Qualquer um pode se tornar um Mestre Reiki?

A única coisa que uma pessoa precisa para se tornar um Mestre Reiki é querer isso! Porém, seria ideal que ela tivesse um propósito maior nesse Mestrado. Seria interessante que suas intenções tivessem como suporte o desejo de divulgar a técnica tendo como motivação interior a confiança absoluta na prática como um sistema de harmonização, energização, relaxamento e desenvolvimento interior ou espiritual, tanto para si mesmo quanto para outros. O Mestrado de reiki não significa virar um Mestre para o mundo, mas sim para si próprio. Significa ser capaz de responder a seguinte questão: “O quanto o reiki acrescentou de fato à sua vida?”. Quanto mais essa resposta for verdadeira para o aspirante ao Mestrado mais apto ele se sentirá a assumir essa responsabilidade, a encarar os questionamentos, as dúvidas alheias e, sobretudo, às suas próprias dúvidas ao longo do caminho. Então respondendo mais objetivamente a essa pergunta... Sim, qualquer um pode ser sintonizado para se tornar um Mestre (nível III de reiki), mas poucos o serão de fato, e menos ainda de modo contínuo e persistente. 

2 comentários: