sábado, 2 de fevereiro de 2019

Dois Métodos Clássicos de Leitura...


Existem centenas de modos de se dispor as cartas para uma leitura de tarot hoje em dia, e eu trago hoje aqui dois que utilizo sempre em minhas sessões. Um bem antigo e outro mais moderno, que trazem uma excelente perspectiva de uma situação ou conjunto de vivências. Eu os considero especialmente eficientes por oferecerem não só um vislumbre do porvir como uma reflexão sobre o que está conduzindo a situação, e no caso do segundo método, até como se pode intervir nesse momento, e no desfecho da trama.

- O Método Péladan -

Um dos métodos de leitura mais conhecidos do mundo, e um dos mais antigos em uso até hoje. A grande contribuição deste sistema de leitura é justamente a ideia de síntese, ou pano de fundo de uma questão, revelando assim o grande potencial que o tarot tem de revelar motivações subjacentes a uma situação ou conjunto de vivências. O método Péladan se utiliza de 5 cartas arranjadas da seguinte forma:

Péladan, simples e profundo. Introduziu a 
ideia de síntese no tarot, e o conceito de arcano oculto... 

Esse sistema é utilizado para responder perguntas sobre um tem específico, ao mesmo tempo em que pode mostrar o “clima” que envolve este tema no momento de modo genérico. Esse modo de disposição das cartas foi criado por Joséphin Péladan (1858/1918), ocultista e romancista francês que o passou para Stanilas de Guaita que por usa vez passou a Oswald Wirth, que escreveu assim em seu livro *Tarot des Imagier du Moyen Age:

1) O primeiro arcano tirado é visto como afirmativo, que fala a favor de uma causa e indica de uma maneira geral o que está a favor.
2) Em oposição, o segundo arcano é negativo e representa o que está contra.
3) O terceiro arcano retirado representa o Juiz que discute a causa e determina a sentença.
4) A sentença é anunciada no arcano retirado em último lugar.
5) O quinto arcano esclarece o oráculo que ele sintetiza, pois depende dos quatro arcanos retirados. Cada um destes traz o número que marca sua posição na série do tarot (O Louco não numerado é contado como 22). Basta adicionar estes números inscritos para obter, seja diretamente, seja por redução teosófica, o número do quinto arcano. Isso só e aplica, é claro, se você se utilizar apenas dos arcanos maiores na tiragem.

Confesso que quando me utilizo dos significados das posições deste sistema de leitura, não faço uso da redução teosófica para se obter o quinto arcano, que é também conhecido como arcano oculto, e que tem o mesmo objetivo até hoje; revelar o pano de fundo que envolve uma determinada situação! Portanto, eu não me utilizo da forma original do método Péladan. Eu peço ao consulente que retire cinco cartas do maço de cartas, e a última é então a síntese ou quintessência dos fatos.

- A Elipse de Sete Cartas -

Esse método de disposição das cartas é apresentado por Gerd Ziegler em seu livro Tarot Espelho da Alma, e mostra de modo ainda mais amplo que o método Péladan um determinado tema da vida por envolver os três tempos, passado, presente e futuro, e ainda indicar uma atuação adequada para o momento, revelar também as interferências externas e a atuação dos medos e das esperanças sobre o desfecho final. As cartas são dispostas assim:

A Elipse, grande abrangência
com poucos arcanos à mesa.

O significado de suas posições são esses:

1) O passado, o que ficou para trás.
2) O presente, o que se esta vivendo agora.
3) O futuro, ou o que vai acontecer se nada for feito.
4) O que fazer, indica a atuação mais indicada dentro do momento.
5) As influências externas, os encontros e desencontros dentro da situação, quem apoia ou obstrui o fluir dos acontecimentos.
6) Medos e esperanças, revela as expectativas que se guarda sobre o tema e que podem interferir no desfecho fomentando crenças internas, positivas ou negativas.
7) O que acontece, ou onde as coisas desembocam.

A riqueza desse sistema é justamente a de mostrar um panorama tão amplo com tão poucas cartas. É um sistema perfeito para sessões em que o consulente prefira apenas fazer perguntas, sem uma leitura geral preliminar como a Cruz Celta, ou a Mandala Astrológica.

Para saber mais sobre o 
arcano oculto leia também: Lendo com 3 Cartas 

*Pesquisa de Constantino K. Riemma.

A Estrela e a Ecologia...

Existe um Arcano que Simbolize a Ecologia no Tarot?

A Estrela, do tarot Namur.
Sim, tem um arcano que representa a ecologia no tarot, e este arcano é A Estrela! A sua protagonista é a única no baralho clássico que aparece totalmente nua. O movimento naturista defende que justamente uma ausência de roupas permite uma integração maior com a natureza. Na literatura sobre o tarot essa nudez alude à sua abertura aos planos superiores de consciência. A sua volta há um campo onde duas árvores aparecem, e numa delas vê-se um pássaro pousado. Este arcano nos lembra de que somos parte dos elementos e que nossa sobrevivência depende da preservação dos mesmos, bem como da fauna (o pássaro ao fundo) e a flora (toda a vegetação que a cerca). Ela tem duas ânforas as quais derrama sobre a terra e a água, indicando a necessidade não só de equilibrar corpo e alma como aparece na descrição usual desta simbologia, mas também a de preservar a terra e as águas, e as vidas que nelas habitam, pois lembremos que sua nudez é uma clara referência à sua participação neste mundo e de sua dependência dele.
A Estrela do
tarot de Marselha.
A sua cabeça está apontando as estrelas, mas da cintura para baixo ela está integrada com a terra, o que faz lembrar a máxima dos ensinamentos zen budista que dizem que é aqui neste mundo que se dá toda a evolução humana, e que este possui inúmeras metáforas que possibilitam a evolução da consciência e do espírito do homem pela simples observação dos ciclos naturais! Bem como nos diz a definição de ecologia, que seria o estudo das relações recíprocas entre os seres vivos, e o ambiente em que vivem, assim como a influência mútua que exercem entre si. E o homem está inserido nesse grande quadro de sobrevivência interativa, embora prefira muitas vezes ignorar este fato. Sem insetos, por exemplo, para polinizar as plantas morreríamos de fome, mas a maioria das pessoas só pensará nisso o dia que lhes faltar o que comer na mesa. Até lá a maioria seguirá consumindo desenfreadamente, poluído e jogando lixo nas florestas e mares, e caçando esportivamente... Não é à toa também que o décimo sétimo arcano do tarot refere-se a uma abertura de consciência. A Donzela antes encastelada no alto da sua torre (símbolo do arcano anterior, A Torre), agora percebe que fazia parte desse mundo, mas infelizmente só depois que tudo ruiu... Que o trabalho de todos nós que seguimos a senda da Luz seja o de auxiliar nesse despertar, antes que seja tarde demais.

Obs: Para ver os arcanos em tamanho natural clique nas imagens.