quarta-feira, 29 de maio de 2019

Astrologia e Tarot - O Naipe de Paus

O Ás de paus, do
Rider-Waite tarot.
O naipe de paus representa no tarot as forças criativas e luminosas da alma que correspondem simbolicamente ao fogo na relação alquímica dos elementos, à primavera no ciclo das estações, e aos signos de fogo na roda astrológica. Os ases de cada naipe correspondem a duas estações, não necessariamente análogas aos elementos de seus naipes, mas a grandes ciclos de começo e fim. Veremos que neste naipe o Ás de paus compreende um período de tempo entre o começo do verão e os limites do outono. Sempre é bom lembrar que essa correspondência leva em conta o ciclo das estações do Hemisfério norte do planeta, onde esse esquema foi concebido. A partir disso, das cartas de número 2 em diante, vai se formando correspondências astrológicas entre planetas e signos que melhor expressam as qualidades de cada arcano.
Cada signo ocupa um período de trinta dias no ano, e cada arcano corresponde a um período de dez dias dentro deste ciclo maior. Com exceção dos ases que correspondem ao período de duas estações. Essa roda anual foi proposta na antiga ordem inglesa Golden Dawn para melhor compreensão do simbolismo das cartas numeradas de cada naipe, mas que também serve como um mapeamento, através dos arcanos, de períodos do ano em que cada pessoa nasce e abre a perspectiva para as possíveis influências sobre a sua personalidade de cada nativo desse período do ano.

Falemos um pouco de cada signo antes de prosseguir:

Áries – O signo do começo da primavera, simboliza as forças aguerridas da existência para se firmar na vida, alegria, entusiasmo, impetuosidade, e impaciência. Por outro lado é também o signo do pioneirismo, da inventividade e da inspiração em todos os níveis.

Leão – O signo do auge do verão, da criatividade e da livre expressão de si mesmo. Simboliza a coragem, a valentia, a gentileza e a nobreza de alma. Representa a vontade da alma de se expressar nesse mundo e mostrar seus talentos, deixando sua marca e contribuição à vida.

Sagitário – O signo do fim do outono que representa o olhar que se eleva ao alto quando a luz da vida se enfraquece. É o positivismo que nos impulsiona a viver e buscar a compreensão e o sentido desta existência quer seja filosófica, científica ou espiritualmente.

Ás de paus – Primavera – 21/06 à 22/09

O desabrochar da primavera! O retorno da luz varrendo as sombras do inverno. Os novos começos intensos; energia, crescimento, fertilidade, força, ímpeto e vigor. O trinfo da luz sobre as trevas, uma disposição renovada e fortalecida pelo poder ígneo da alma.  A luz da divindade interior que ao despertar ilumina e reanima tudo! Acesso a uma fonte interna de energia e poder criativo capaz de transformar tudo, e de curar e inspirar a outros a sua volta!

Dois de paus – Marte em Áries - 21/03 à 30/03

A disposição marciana para atuar pronta e vigorosamente junta-se ao impulso ariano para avançar, combater e vencer rapidamente. Avançar a partir de um centro interno super energizado. Estar pleno de si mesmo, de suas capacidades, forças e disposição, e estar pronto para atuar inequivocamente e sem concessões. É uma força que ainda está no nascedouro e procura uma direção adequada, ou um campo mais apropriado para a sua manifestação.

Três de paus – Sol em Áries – 31/03 à 10/04

A disposição solar da consciência para explorar o novo, as possibilidades latentes, e conhecer a si mesmo através da experimentação. O pioneirismo ariano numa ação de crescimento através da exploração do inusitado, do diferente, ou do que ainda não foi testado. O surgimento do inesperado, de caminhos ousados, diferentes ou mesmo bizarros, conforme o caso. O encontro de todo um espectro novo de experiências, tanto no campo prático quanto sutil.

Quatro de paus – Vênus em Áries – 11/04 à 20/04

A ação romântica dá lugar a uma ação mais prática e interativa. Reunir esforços que se complementam com um objetivo em comum. O individualismo ariano dá espaço à troca de talentos, esforços e energias para a concretização de algo, quer seja um relacionamento, um empreendimento ou qualquer outra ação construtiva. Entretanto, essa falta de espaço individual pode virar uma invasão do senso de privacidade e livre arbítrio, conforme cada caso.

Cinco de paus – Saturno em Leão – 21/07 à 01/08

A força criativa de Leão é quase que esmagada, a energia criativa não pode se expandir livremente, criando bloqueios e atrasos, e trazendo consigo frustração, conflito e turbulências. Saturno traz sobriedade e regras para o que deveria ser espontâneo e natural, tirando assim a fluência e a leveza. As forças ígneas aqui atuam com dificuldade, e trazem resultados abaixo do desejado ou do necessário. Esforço vão ou inorganizado, atuação precária, deficiente, tosca.

Seis de paus – Júpiter em Leão – 02/08 à 11/08

O planeta da realeza encontra o signo da nobreza! Sucesso, reconhecimento, fama. O fulgor de uma personalidade brilhante numa ação heroica ou revestida de grandes méritos. A vitória sobre os percalços do passado. Júpiter expande a autoconfiança de Leão, e sua força e grandeza interior. Vencer os medos, as demandas contrárias aos esforços pessoais, e as dúvidas sobre a própria capacidade. Pode também trazer orgulho e vaidade sem medidas.

Sete de paus – Marte em Leão – 12/08 à 22/08

Marte confere mais força a ação leonina por brilho, sucesso, autossuperação e reconhecimento. Vencer os próprios limites, vontade de agir e vencer acima da média. Fazer mais que todos, e provar o próprio valor. Empreender com toda força e sem tréguas. Atitude que se levada a extremos causa ansiedade, estresse, e a um desgaste do sistema nervoso e da saúde psíquica. Marte também confere uma ação invasiva, ainda que bem intencionada.

Oito de paus – Mercúrio em Sagitário – 23/11 a 02/12

A busca mercuriana por conhecimento e recursos rápidos que esclareçam, e ampliem a percepção e que, a partir disso, transformem não só a consciência, mas também a realidade. Sagitário aspira a realidades maiores, tanto conscienciais quanto práticas. Flexibilização e abertura dos conceitos estreitos da mente. Por esse motivo este é o arcano das transições e das viagens, e também da ruptura com padrões cristalizados de comportamento e de crenças.

Nove de paus – Sol em Sagitário – 03/12 a 12/12

O Sol vitaliza a disposição quase que inesgotável de Sagitário por movimentação, ação e empreendimento. Por esse motivo que muitos veem nesse arcano o acesso a forças quase que infinitas para se realizar o que se acredita e quer, outros veem nele um imenso montante de energia despendido num mesmo foco e atuação (o exagero é uma característica sagitariana), que acaba por exaurir as fontes vitais e psíquicas, trazendo o esgotamento das forças anímicas.

Dez de paus – Saturno em Sagitário – 13/12 a 21/12

Saturno limita e sufoca as forças idealistas e esperançosas de Sagitário com o peso de fatos inegáveis e esmagadores. Nenhum recurso escapista ou ideal pode resolver a situação, a não ser o ter de encará-la de frente e corrigir as falhas. O foco sagitariano, sempre alimentado por novas metas, acaba por suprimir outros aspectos da vida que agora reclamam por atenção; Tipo tudo para o trabalho e nada à vida pessoal. Saturno força a resolução, e não novos saltos.

Leia também: A Viagem da Alma nos Arcanos Menores 

domingo, 5 de maio de 2019

O Segundo Retorno de Saturno

Uma representação de Saturno
na astrologia medieval.
Nossa obsessão com a juventude é de tal ordem que mesmo nas disciplinas que visam o autoconhecimento e a compreensão dos ciclos da vida, como a astrologia, há pouco ou quase nenhum material sobre a terceira idade! Falamos quase que exaustivamente sobre o primeiro retorno de Saturno entre 29 e 31 anos, mas quase nada sobre seu segundo retorno entre 58 e 60, e nada sobre seu último e derradeiro ciclo entre 87 e 89 anos. Pois bem, vamos começar explicando aos leigos que o planeta Saturno demora em média 29 nos para dar uma volta completa no zodíaco. Atualmente Saturno está em Capricórnio, e a última vez que esteve nesse signo foi por volta de 30 anos atrás. Assim sendo, você que tem hoje entre 29 ou 30 anos é provável que tenha Saturno em Capricórnio no seu mapa natal, resta saber em que casa e que aspectos ele faz com os outros planetas para descobrir suas influências em sua psique e vida prática. O mesmo se dá com quem está hoje com idade em torno de 58 anos.
Sabemos que o primeiro ciclo de Saturno tem como característica a maturação dos objetivos de vida e a definição do próximo ciclo de 30 anos, algo que surge como um apelo do tipo “o que quero fazer da minha vida de verdade a partir de agora...?”, o “o que” pode ser substituído por “como”, ou “onde”, dependendo de cada caso! Quando então ele volta ao mesmo signo e casa em que esteve há 29 anos, ele nos pergunta através de nosso inconsciente coisas do tipo: “estou satisfeito com o que construí até agora?”, ou “quero continuar fazendo o que faço?”, ou como ou onde faço? É nessa época da vida que se pensa em aposentadoria, e não raramente as pessoas nesta faixa etária estão descobrindo novos interesses, dons, talentos, aptidões esquecidas ou negligenciadas que parecem exigir atenção. Também há, frequentemente, a sensação de não identificação com o que já foi elaborado, ou de profundo cansaço com tudo o que se construiu em torno do que foi escolhido, ou o ritmo que se imprimiu, e até mesmo o excesso de zelo e dedicação! 
Saturno, senhor do tempo e
dos ciclos de maturação da alma.
O velho de chinelas e roupão na frente da tevê não combina mais com os cidadãos e cidadãs da nova maturidade, isso ficou para trás. Porém, essas pessoas possuem amiúde dependentes com os quais se sentem na obrigação de amparar, ou orientar. Ou seja, eles estão servindo de suporte para aqueles que estão passando recém pelo primeiro ciclo de Saturno e que resistem ao processo de amadurecimento! É incrível o número de pessoas por volta dos 30 anos que ainda não sabem qual a sua vocação, ou meta de vida, e que andam em círculos como um cão perseguindo o próprio rabo, sendo sustentados ou empregados por pais e mães sessentões, e que veem isso com muita naturalidade. Fico imaginando o terrível segundo ciclo saturnino que essas pessoas terão, com certeza deverão sentir algo como um esbarrão do tempo sobre elas, como se a velhice fosse um evento súbito, e uma provável ânsia de correr atrás do tempo perdido! Até lá os sessentões terão de aprender a abdicar do passado e de todos os deveres que os assoberbaram para encontrar um espaço interior para a sua própria reinvenção. No afã de evitar para os filhos o sofrimento que eles experimentaram acabaram colocando-os em redomas de infantilização, criando seres sem objetivos definidos de vida, com pavor de quebrar a cara, enquanto eles mesmos foram perdendo os seus... O trabalho de autoconhecimento proposto pelo estudo astrológico pode nos auxiliar a compreender as demandas desse ciclo, como apontar os meios que podem servir para o resgate do foco na própria vida e jornada interior, além de revelar talentos potenciais, caso não tenham sido ainda reconhecidos pela consciência.
Felizmente nem todos os que atingem a maturidade se sentem desorientados sobre que caminhos seguir, ou o lugar e a importância de cada coisa e cada pessoa em sua vida. Certamente essas pessoas são consciências que amadureceram sem perder o foco interior, e que sempre estiveram bem alinhadas com seu propósito de vida. Entretanto, essas pessoas são raras, e muitas vezes estão de alguma forma ajudando ou orientando seus irmãos de jornada na mesma faixa etária, a sair do labirinto que criaram para si mesmos.