segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

O Tarot e a Paternidade

A relação com o pai estimula na criança uma interação com o mundo prático dos limites e da realidade.  Quando este relacionamento é saudável o indivíduo sabe como se posicionar no mundo, não se sentindo ameaçado por figuras de poder e autoridade. Confia em si mesmo e em seus potenciais, e por isso não precisa de autoafirmação constante do seu ego. Sente-se bem consigo mesmo e, se for um homem, vive sua masculinidade de modo muito saudável e tranquilo. No caso dessa relação ser desequilibrada o indivíduo não consegue estabelecer regras para seu próprio crescimento, tem dificuldade em se organizar no mundo prático e de confiar no sistema, nas pessoas e em si mesmo. Podendo vir a se tornar desajustado ou violento, inclusive com aqueles que ama. Apresento aqui as relações paternas sob a perspectiva do simbolismo do tarot. Como nunca é demais lembrar, uma leitura de tarot se resume na capacidade de se ver a interação entre todos os arcanos presentes, perceber suas nuances dentro dessas interações, e acrescentar a isso a indispensável orientação intuitiva para a interpretação dos seus símbolos. Dito isto lembre que o que é apresentado aqui varia de intensidade de pessoa para pessoa, e conforme cada caso. Vamos aos arcanos na paternidade:

Arcanos Maiores


Arcano de O Imperador, do 
Druid Craft tarot.
IV O Imperador
O próprio arquétipo do Pai. Realista, prático e protetor, o que apresenta a criança ao lado real da vida e a ajuda a ir para o mundo. Protetor e provedor, mas estimula a ação, a autoconfiança e o autodesenvolvimento.

VII O Carro
O pai competidor. O que impele o filho a superar a si mesmo, ou aos seus próprios feitos (dele o pai). Se for imaturo acaba rivalizando com o filho e tenta deixá-lo para trás, ou o faz se sentir inapto o tempo todo.

IX O Eremita
Pai mais velho, ou muito sério e interiorizado. Pode também representar outro homem que exerceu a função de pai, como um padrasto, avó ou tio mais velho. Com esse pai a criança pode ter aprendido a ser cautelosa com as coisas e as pessoas na vida, e com dificuldade de confiar na proteção e no cuidado dos outros.

XVI A Torre
Pai ausente afetiva ou fisicamente, o que pode ter gerado insegurança ou ansiedade na criança. Conforme os outros arcanos pode indicar uma presença paterna perturbadora, como um pai violento, alcoólatra ou com distúrbios psiquiátricos.

Arcanos Menores


O Rei de paus, do
Osho Zen tarot.
Rei de paus
Pai positivo, caloroso, forte e realizador, não mima, mas estimula a crescer e se desenvolver. É um provedor, mas também um ser livre! Estimula a iniciativa, a independência e o enfrentamento das questões da vida. Pode ficar impaciente com as necessidades sempre urgentes dos filhos.

Rei de copas
Pai amigo, bom ouvinte, mas é mais um conselheiro, companheiro ou analista do filho do que propriamente um provedor no mundo prático. Pode representar um indivíduo imaturo ou esquivo nas funções paternas, por fragilidade ou incompetência mesmo.

Rei de espadas
Pai duro, firme. É um disciplinador e educador eficaz, estimula nos filhos a busca por altos ideais. Ensina a criança a seguir regras, quer ser ouvido ou obedecido (ou ambos). No seu aspecto negativo é afetivamente distante, podendo ser autoritário ou opressor.

Rei de ouros
Pai empreendedor, disciplinado que acredita que crescer é prosperar materialmente. Estimula disciplina, boa formação e compostura social. Negativamente pode ser um materialista arrogante que oprime os filhos com seu poder material ou os incita a segui-lo.

Ás de paus
Indica fertilidade masculina, e pode alertar para o risco de o consulente se tornar pai em breve. Um símbolo positivo para homens que desejam a paternidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário