quinta-feira, 8 de abril de 2021

O Simbolismo Totem no Tarot Zen...

O GOLFINHO

Voz Interior (A Sacerdotisa)

10 de água (copas) – Harmonia

O espírito animal (totem) do golfinho representa harmonia e equilíbrio. Os golfinhos são altamente inteligentes e em sintonia com seus instintos, estabelecendo um equilíbrio entre os dois estados. Os golfinhos também são um símbolo de proteção e ressurreição. Sua natureza lúdica é um lembrete de que todos precisam encarar a vida com humor e alegria. As pessoas que se identificam com o totem dos golfinhos são geralmente pacíficas e gentis, mas com uma profunda força interior. O golfinho é um animal complexo e teve muitos significados diferentes atribuídos a ele ao longo da história, incluindo: Paz e harmonia, proteção, brincadeira e alegria, força interior, cooperação, e ressureição.

Os golfinhos equilibram sua natureza animal com uma inteligência superior. Eles confiam em seus instintos e intuição, em vez de pensar demais nas coisas. Eles vivem pacificamente com outras espécies, incluindo humanos. Não é incomum para os golfinhos nadar e brincar com nadadores e barcos. Sua natureza gentil nos lembra de buscar o bem em todos e nos esforçar para trazer paz para nossas vidas e para aqueles ao nosso redor.

Uma lenda nativa americana que descreve os golfinhos como salvadores humanos é encontrada na cultura Chumash, na qual a Mãe Terra Hutash cria uma ponte de arco-íris para as pessoas cruzarem o oceano. Como alguns deles olharam para baixo durante a viagem, ficaram tontos e caíram no mar.

Sentindo-se mal pelo que aconteceu e não querendo que eles se afoguem, a Mãe Terra transforma as pessoas que caíram em golfinhos. A partir daí, a tribo Chumash considera os golfinhos seus irmãos e irmãs.

A ÁGUIA

O Rebelde (O Imperador)

Integração (A Temperança)

2 de fogo (paus) – Possibilidades

Com sua visão aguçada, a águia passou a incorporar um olho que tudo vê. A águia costuma ser um símbolo solar e pode ser associada a todos os deuses do céu. Significa inspiração, libertação da escravidão, vitória, longevidade, velocidade, orgulho, poder, o pai e a realeza; muitas vezes é um emblema para nações poderosas. Os povos romano, francês, austríaco, alemão e americano adotaram essa imagem como seu símbolo. Consequentemente, uma águia de duas cabeças frequentemente significa a união de duas nações, mas também significa poder criativo. Na simbologia psicológica, a águia é vista como "uma criatura com asas poderosas nos céus da mente", ou seja, uma visão e perspectiva fora do comum. Por viver em plena luz do sol, é considerada um símbolo de luminosidade e compartilha características com o ar e o fogo. Por meio de seu desapego da terra, representa o espírito e a alma. Dante Alighieri chamou a águia de "pássaro de Deus".

A águia é muitas vezes retratada em combate com outros animais; quando visto em combate com um touro ou leão, representa o espírito ou o intelecto em conflito com o físico. Quando mostrado com uma Serpente em suas garras, os dois representam a luta e a unidade de Luz e da Escuridão; o bem e o mal. Neste contexto, a águia representa a Luz e o bem, enquanto a serpente representa o mal e as Trevas. O seu oposto é a coruja - o pássaro das trevas e da morte.

O CISNE – Integração (A Temperança)


O cisne, como animal espiritual, pode ajudá-lo a ver o futuro e a desenvolver suas próprias habilidades intuitivas. O cisne é um símbolo de pureza, beleza, graça, amor e elegância, mas pode também simbolizar adivinhação e equilíbrio. O cisne como animal totem pode ajudá-lo a entender melhor do que trata a evolução espiritual e a manter a graça e a leveza na comunicação com os outros. Devemos lembrar que o cisne se mantém conectado com a água, o que representa fluidez, criatividade e profundidade de percepção também!

O cisne como animal totem ativa também o poder curador interior para que possamos curar a nós mesmos e também aos outros.

Na mitologia romana, o símbolo do cisne está conectado à beleza de Afrodite e também a Apolo - o Deus da poesia, da profecia e da música. Há uma fábula grega que nos fala sobre a última canção sobrenatural dos cisnes à medida que morrem, que os amarra tanto à poesia quanto à morte.

Muitos escritores e músicos românticos descreveram a graça e a beleza do cisne como um símbolo do sol e da luz. Quando os cisnes se acasalam e fazem amor, eles entrelaçam seus pescoços. Isso se tornou um símbolo de amor e romance em muitas culturas. Uma mulher xamã é chamada de cisne em algumas línguas nativas americanas. Sonhar com um cisne significava vislumbrar o céu mais elevado, e o sonhador era conhecido pelos seres celestiais. Em muitos contos gaélicos e irlandeses, os cisnes aparecem como mensageiros. Sua mensagem é principalmente de amor, e eles falam do amor que já existe dentro de cada um de nós.

A SALAMANDRA – Vidas Passadas (A Lua)

O simbolismo da salamandra fala sobre a necessidade de desintoxicação. Algo em sua vida está lhe causando dor, estresse e preocupação, e isso o deixa vulnerável e duvidando de si mesmo.

É hora de remover esse veneno de seu sistema e preencher sua vida apenas com bondade e positividade. Quanto mais cedo você fizer isso, mais cedo poderá aproveitar sua vida!

Nesse caso, o simbolismo da Salamandra está perguntando se você está usando seu tempo com sabedoria. Em outras palavras, essa mensagem do espírito animal insiste que é vital fazer o melhor uso do seu tempo e equilibrar as oportunidades que estão disponíveis para você. Além disso, você pode fazer as alterações necessárias, liberando velhos padrões para aproveitar o momento.

Ocasionalmente, o significado de Salamandra é uma mensagem sobre a necessidade de desintoxicação. Há algo em sua vida que o está envenenando (sentimentos, lembranças, medos, antigos padrões etc), e até mesmo substâncias físicas. Portanto, você precisa lidar com isso, essa limpeza é necessária em todos os níveis. É hora de abandonar sua velha vida e abraçar a nova, esse é o significado desse totem!

O LOUVA-A-DEUS – Inocência (O Sol)

Em grego este mantídeo, da raiz mantis, significa “profeta” ou “vidente”, o que reforça a crença de que o louva-a-deus tinha poder sobrenatural. Junto com a Grécia Antiga, o Egito Antigo e a Assíria também mantinham essa crença sobre este inseto misterioso.

Tanto na Grécia quanto no Egito, o papel espiritual do louva-a-deus era servir de guia para aqueles que estavam perdidos. Na Grécia Antiga, dizia-se que o louva-a-deus ajudava os viajantes perdidos a voltar à segurança.

Espiritualmente, o louva-a-deus representa o poder da introspecção, meditação e investigação do seu Eu Superior e do propósito de vida. O louva-a-deus representa uma visão clara ou um conhecimento claro das energias psíquicas que moldam a sua realidade.

Se um louva-a-deus aparece em sua vida, isso representa a necessidade de se afastar das distrações da vida cotidiana e levar algum tempo para olhar para dentro e, com esse foco, se conectar com o insight intuitivo no fundo de sua alma. Numa espécie de iluminação da consciência!

Pode ser um momento em que a meditação lhe dará o insight de que você precisa para encontrar o centro e o equilíbrio em sua vida. Durante esse período, é provável que você tenha revelações repentinas e inspiração criativa quando fica quieto e olha para dentro.

Sentado quieto, você começa a se sintonizar com sua própria sabedoria interior, que revela a verdade sobre quem você é e para onde deve ir. Depois de obter esta revelação, você pode começar a jornada em direção à sua verdade mais elevada, deixando para trás as camadas vibracionais inferiores que o seguraram. O louva-a-deus, com seus olhos evasivos e movimentos graciosos, permite que você saiba que o universo ajudará a iluminar o caminho - tudo que você precisa fazer é confiar em sua própria intuição.

A BORBOLETA – Além da Ilusão (O Julgamento)

As borboletas são representações profundas e poderosas da vida. As borboletas não são apenas bonitas, mas também têm mistério, simbolismo e significado, e são uma metáfora que representa o renascimento espiritual, a transformação, a mudança, a esperança e a vida. A vida magnífica, mas breve, da borboleta espelha de perto o processo de transformação espiritual, e serve para nos lembrar de que a vida é curta.

Alguns acreditam que as borboletas são mensageiros alados do mundo espiritual para o reino físico e que enviam sinais e validações para ajudar a nos guiar pela vida. Sugere-se que você preste atenção e ouça por meio de sua intuição, pensamentos, sentimentos e sentidos para receber a mensagem dos reinos angélicos de que as borboletas ajudam a sinalizar a presença.

A borboleta é um dos animais totêmicos mais emblemáticos, simbolizando a transformação pessoal. Se você vê a borboleta como seu totem ou animal espiritual, preste atenção às áreas de sua vida ou personalidade que precisam de mudanças ou transformações profundas. Talvez, este totem animal o oriente para ser sensível aos seus ciclos pessoais de expansão e crescimento, bem como à beleza do contínuo desdobramento da vida. Uma mensagem importante transmitida pelo espírito da borboleta é sobre a habilidade de passar por mudanças importantes com graça e leveza. Este totem animal está principalmente associado ao simbolismo de mudança e transformação, de metamorfose em sua vida, e em sua personalidade. Elevação dos assuntos terrestres, sintonização com o aspecto emocional ou espiritual do seu ser. O mundo da alma, a psique.

O TIGRE – 6 de fogo (paus) – Sucesso

O Tigre de Bengala é o animal nacional da Índia, o Tigre da Malásia é o animal nacional da Malásia, o Tigre Siberiano é o animal nacional da Coreia do Sul e o Tigre de Bengala Real é o animal nacional de Bangladesh.

O tigre é um dos 12 animais do zodíaco chinês. As pessoas nascidas no ano do tigre são consideradas competitivas, autoconfiantes e corajosas. Acredita-se que o tigre chinês carregue na testa o caractere chinês "wang", que significa "o rei".

Como um animal espiritual (totem), o significado para o tigre é força de vontade, coragem e força pessoal. A pele de tigre no budismo tântrico representa a transformação da raiva em sabedoria e percepção, e acredita-se que protege o meditador de danos externos ou interferência espiritual. No hinduísmo, a deusa guerreira Durga (símbolo do poder invencível e da segurança) é frequentemente retratada montando um tigre enquanto carrega armas.

O MACACO – 7 de fogo (paus) – Estresse

O significado do macaco fala de boa saúde e proteção familiar. Essas são as coisas pelas quais você se esforça muito para conseguir, mas em seus esforços para alcançá-las, você acaba dando uma ou ambas como garantidas, e pode ficar pode descuidado.

O totem do macaco aparece para trazer de volta o foco em seus relacionamentos pessoais e em seu bem-estar. Entenda que você precisa encontrar um equilíbrio se deseja alcançar a felicidade e a satisfação. O macaco é um dos 12 animais do zodíaco chinês, e representa talento, generosidade, inteligência e honra.

O simbolismo do macaco também fala sobre a necessidade de entender o sucesso. Existe uma maneira certa de curtir o sucesso e que vai inspirar os outros a fazerem o que ou como você faz, e existe uma maneira que pode fazer parecer que você não merece nada!

O macaco é brincalhão e travesso por natureza. Isso significa que ter um pouco de diversão e risos em sua vida é bom para a alma.

Traga o humor de volta, e alimente o seu espírito jovial para que você possa lidar com qualquer tipo de situação. Quando você estiver passando por um período difícil, lembre-se de rir, e de se divertir.

GALO – 6 de nuvens (espadas) – Fardo

O galo é vigilante, engenhoso e também muito viril. Está sempre ativo e pode até parecer arrogante para alguns. O orgulhoso galo assume uma postura agressiva no galinheiro, simbolizando a autoridade, e em casos extremos, o autoritarismo e até a agressividade. Representa o gosto pelo planejamento e o controle das situações, o que pode vir para o bem ou para o mal.

Como espírito animal (totem) ele diz para que se fique mais vigilante, e incita a abandonar velhos hábitos e a se reformar. O galo trabalha duro e fala pouco. Deixa que as pessoas vejam suas ações, pois que crê que os exemplos são bem mais poderosos. O galo é um dos 12 animais do zodíaco chinês, e representa os poderes de bom gestor e empreendedor, e também a mente crítica, a lucidez, e a lealdade. Um galo representa o orgulho, a esperança, um novo dia, e até a ressurreição. Para os chineses, o simbolismo do galo está ligado à boa sorte, riqueza e fortuna. Os japoneses acreditam que o símbolo do galo é um sinal de oração e vigília espiritual.

De acordo com os princípios do yin/yang do taoísmo, o galo é uma manifestação do yang e o sol é o espírito do yang. Os dois pertencem à mesma categoria, por isso o galo canta ao nascer do sol, indicando a interação entre ambos. Simbolizando força, vigor, renascimento, e a busca por clareza em todos os níveis.

A COBRA

Transformação (A Morte)

7 de nuvens (espadas) – Política

Por viver perto do solo, a cobra é um emblema da terra nutridora e também dos perigos desconhecidos do submundo. As cobras também têm diferentes significados místicos. 

Quando questionadas sobre o que a palavra cobra traz à mente, a maioria das pessoas, independentemente de sua religião, responderia “mal” ou medo. Cristãos, muçulmanos e judeus inevitavelmente usariam a palavra mal para descrever o significado da cobra.

O mundo acadêmico usaria as palavras pecaminoso, enganoso ou perigoso para descrever o simbolismo da cobra. Em muitas partes do mundo, cobras e serpentes também são símbolos de sexo, pois o espírito da cobra está conectado à força vital, e à energia primordial.

Em toda a Bíblia, o símbolo da cobra ou da serpente significa o Diabo ou Satanás que desvia o mundo inteiro. A palavra Diabo significa “caluniador” em latim, e Satanás “adversário” em hebraico.

Portanto, quando um homem ou uma nação é chamado de cobra, isso significa que seus caminhos perversos estão claros. Em Jeremias (15:34), está escrito: “Como uma serpente, ele nos engoliu e encheu o estômago com as nossas iguarias e depois nos vomitou”.

Quando os hebreus viveram no Egito, eles encontraram encantadores de serpentes lá, então Moisés usou sua feitiçaria ordenada por Deus para combater a deles.

*******

PS: A linguagem simbólica, quando engloba seres da natureza, tem muito mais a ver com a impressão que estes seres transmitiram ao nosso inconsciente ao longo dos tempos do que com a natureza deles em si. Cobras são animais lindos e muito úteis no equilíbrio ecológico, e merecem nosso respeito, cuidado e preservação. Muitas, por serem venenosas, devem sim ser tratadas com cuidado, mas nunca sem amor! 


segunda-feira, 8 de março de 2021

A Leitura da Essência - Uma Vivência com o Tarot

Tarot Solo-Busca, de 1490.

Convido a você para fazer um exercício de autoconhecimento integrando a sequência simbólica dos números de 1 a 9 e o tarot: Separe as cartas com numeração de 1 a 9 dos arcanos maiores do tarot. São elas: 1 O Mago2 A Sacerdotisa, 3 A Imperatriz, 4 O Imperador, 5 O Hierofante, 6 Os Amantes, 7 O Carro, 8 A Justiça e 9 O Eremita. Acrescente a elas o arcano zero, O Louco. Teremos assim os nove representantes dos números acrescidos do zero, que potencializa ou enfraquece a potência dos números conforme surge à direita ou à esquerda de um dígito. Na tarologia os arcanos de 1 a 9 representam as aspirações mais profundas da alma, uma influência que segue ao longo de nossas muitas vidas até ser realizada. As cartas de número 10 (A Roda da Fortuna) até 21 (O Mundo) representam as aspirações e identificações da personalidade para esta vida. O zero por sua vez (O Louco) representa a própria alma em sua busca por evolução e ascensão. Assim como o zero, se é colocado ao fim da sequência numérica dos 22 arcanos maiores simboliza o “Louco sábio”, como foram chamados alguns iluminados ao longo da história. Se for colocado no início da sequência é o Bobo, o ignorante. Como uma criança dando os primeiros passos na vida, e carecendo de muita instrução e experiência!

Os números em sua sequência de 1 a 9 representam na numerologia um movimento de manifestação, da individualidade (o 1) ao todo (o 9)! 0 1 é o pai divino, o 2 a mãe divina, o 3 a criança divina, o 4 a terra, o 5 a mudança e o tempo, o 6 o amor e a família, o 7 o espírito, o 8 a verdade e o equilíbrio, e o 9 a transcendência!

Agora que separou as cartas do maço podemos começar a vivência. Se você já estuda os arcanos ou já é tarólogo há uma desvantagem para você, pode perder a naturalidade que essa experiência requer! Mas como tudo tem solução sugiro que escolha um baralho com que não tenha nenhuma intimidade. Deixe as caras voltadas para você, não precisa conhecer o significado dos arcanos, e se já os conhece ESQUEÇA! Guie-se apenas pelas imagens e vá colocando cada um dos arcanos na sequência da esquerda para a direita para responder as nove questões abaixo, ou se preferir coloque-os em círculo, como uma roda. Eis as questões:

1) Quem foi seu pai?

2) Quem foi sua mãe?

3) Que criança você foi?

4) O que representa o mundo prático para você?

5) O que é viver a vida e os prazeres para você?

6) O que representa a sua família?

7) O que você enxerga no fundo de si mesmo?

8) O que é o poder para você?

9) Qual é a sua busca maior (sonho/meta/aspiração) neste momento?

Arcanos maiores do The Old English tarot.

Vá colocando as cartas como a resposta para cada uma das questões, e pesquise, leia e anote o significado de cada uma das que tirou. Reflita sobre elas, num primeiro momento você pode achar que não tem nada a ver aquele arcano que escolheu “no impulso”. Não caia nessa armadilha, a mente adora pregar peças! Seja fiel a este impulso.

Você já deve ter observado que foram nove perguntas, mas que havia dez cartas não é mesmo? Pois bem, esta carta é a representante da porção não integrada da sua psique, aquela que você deixa de fora! Simboliza um talento, virtude, qualidade ou um medo e deficiência que você não olha, ou não tinha reconhecido até aqui, e que por algum motivo não acessa ou conscientemente nega. Trabalhe esse arcano com cuidado. O tarot sempre reflete um momento ao longo da nossa jornada evolutiva, mas não repita esta vivência até ter compreendido o que este arcano lhe trouxe, ou seja, até ter absorvido a lição para a qual ele aponta!

Este é um exercício de autoavaliação e exploração da simbologia do tarot para o desenvolvimento interior, por isso requer pesquisa, tempo e reflexão. Não responderei a nenhum comentário pedindo minha opinião, ok? Descubra-se! Se sentir necessidade de aprofundar o que encontrar anote os arcanos e marcamos uma consulta, certo?


quarta-feira, 3 de fevereiro de 2021

A Evolução do Tarot na História...

Apresento aqui uma síntese da evolução histórica do tarot dentro das contribuições mais significativas, a meu ver, para o seu estudo e compreensão através dos tempos. Contribuição esta feita por homens e mulheres que dedicaram suas vidas ao universo rico e transformador da tarologia. Aqui estão eles:

ETTEILLA (1738/1791) – Ocultista francês, e o primeiro consultor e professor profissional de tarot da história! Foi o primeiro também a perceber a conexão entre a simbologia do tarot com a astrologia, e com os quatro elementos clássicos e a criar uma relação entre eles. Criador do primeiro baralho de tarot com fins esotéricos, o "La Grand Etteilla", e o primeiro a introduzir a interpretação das cartas invertidas numa leitura, ampliando o escopo de possibilidades interpretativas do simbolismo do tarot. Técnica ainda empregada por grandes divulgadores modernos do tarot como Hajo Banzhaf, Rachel Pollack e Mary K. Greer.

Éliphas Lévi, de todos desta lista é o único tarólogo
teórico, pois que desaprovava a aplicação oracular!

ÉLIPHAS LÉVI – (1810/1875) – Mago, jornalista e escritor francês, fez a primeira associação entre o simbolismo do tarot com a cabala. E o primeiro a perceber que a estrutura simbólica do tarot abarcava não só as dimensões celestes, mas também sagradas da vida! Passa assim a considerar o uso oracular do tarot como uma profanação, pois vê que os arcanos seriam chaves exclusivas para a investigação íntima, a transformação pessoal e a elevação da consciência!

McGREGOR MATHERS – (1854/1918) – Ocultista britânico, foi o fundador, juntamente com Dr. William Wynn Westcott e o Dr. William Robert Woodman, da Hermética Ordem da Aurora Dourada, a Golden Dawn em 1888. E o responsável por introduzir o tarot como o instrumento de reflexão interior e exploração mágica da ordem. Foi lá que se aplicou pela primeira vez o simbolismo dos arcanos em rituais mágicos, e em meditações vivenciais para a ampliação da consciência! O que ainda influencia os tarólogos da atualidade. Foi na Golden também que se ampliou o simbolismo dos arcanos menores atribuindo-lhes relações astrológicas e cabalísticas, e onde as setenta e oito cartas receberam títulos esotéricos como chaves meditativas sobre seu simbolismo mais profundo!

ARTHUR EDWARD WAITE – (1857/1942) – Nascido nos Estados Unidos este ocultista britânico teve a revolucionária ideia de criar imagens para representar o significado simbólico das cartas numeradas dos arcanos menores. O seu baralho "Rider-Waite" é o precursor de todos os baralhos modernos, e o primeiro a insinuar através das imagens criadas para as cartas de naipe do tarot, que ali também havia uma viagem evolutiva da consciência. O que mais tarde foi mais bem desenvolvido por Juliet-Sharman Burke e Liz Greene em seu "Tarot Mitológico". Seu trabalho tornou mais fluente a compreensão do simbolismo dos arcanos menores.

ALEISTER CROWLEY – (1875/1947) – Ocultista inglês que criou uma relação atualizada entre as correspondências do tarot com a astrologia, mais próxima e coerente entre si, e também uma nova e polêmica versão da relação tarot-cabala proposta por Lévi, além de lançar o seu baralho o “Thoth Tarot”. Este seria mais que um oráculo, mas um guia de profecias a se cumprirem para a transformação da humanidade e do planeta para a entrada num novo ”Éon”, ou Era.

PAUL FOSTER CASE – (1884/1954) – Ocultista a cabalista americano, foi o primeiro a relacionar a linguagem do tarot com as teorias da moderna psicologia que pipocavam naquele tempo – Freud, Jung, Lacan, Assagioli, etc – também aprofundou os estudos da relação tarot-cabala através da gematria, que seria uma aritmética esotérica dos cabalistas para relacionar o valor numérico das letras cabalísticas com as palavras que compreendem o simbolismo mais intrínseco do tarot.

Hajo Banzhaf, a última grande contribuição sobre
a simbologia dos arcanos dentro de uma perspectiva mítica!

ANGELES ARRIEN (1940/2014) – Antropóloga e taróloga espanhola de origem basca, radicada nos Estados Unidos, que cria a primeira relação entre numerologia e tarot através do cálculo da soma da data de nascimento para se encontrar os arcanos da alma, da personalidade e do ano de crescimento. Técnica utilizada até hoje por muitos consultores de tarot para a compreensão do ciclo pessoal de quem os procura. E também desenvolve a ideia de “constelações dos arcanos” onde sugere que as cartas numeradas do tarot são derivações simbólicas dos arcanos maiores de 1 a 10, o que ajudou bastante na compreensão do seu simbolismo.

JAMES WANLESS – (1943...) – O trabalho de Wanless é uma verdadeira renovação nas aplicações da tarologia como, por exemplo, aplicando dinâmicas de grupo que se utilizam das cartas com leituras coletivas. Também desenvolve a abordagem de tarot coaching, por meio da qual as leituras ajudam a aprofundar o significado intrínseco dos eventos no desenvolvimento da consciência e do amadurecimento pessoal. É o criador do "Voyager Tarot", um belo tarot transcultural feito de fotomontagens, e sem direcionamentos filosóficos específicos.

VICKI NOBLE – (1947...) – Astróloga e curadora xamã americana, foi a primeira a perceber a relação do simbolismo do tarot com o Sagrado Feminino ancestral, e cocriadora do "Motherpeace Tarot", juntamente com Karen Vogel. Um baralho de cartas redondas, pois segundo suas autoras seria um resgate da consciência inclusiva das tribos ancestrais, onde todos participam das dores, do crescimento e do êxtase da comunidade. Muito do seu trabalho evoca os ritos e vivências coletivas ancestrais incluindo o tarot, como nos ritos da antiga Golden.

HAJO BANZAHF – (1949/2009) – Tarólogo, astrólogo e mitólogo alemão cuja maior contribuição para a tarologia foi o desenvolvimento da ideia de que dentro da simbologia dos arcanos está a chave para a compreensão de todos os mitos sobre a jornada do herói na história da humanidade, de Hércules a Gilgamesh passando por Lancelot, o nobre cavaleiro da Távola Redonda do Rei Arthur. Essa proposta de Banzhaf foi, juntamente com a proposta astrológica de Etteilla e a cabalística Lévi, a mais engrandecedora para o estudo e a compreensão do imenso escopo simbólico do tarot que, infelizmente, encerra sua brilhante carreira, pois que morre em seguida.

Hoje, infelizmente, parece estar havendo um retrocesso na aplicação da tarologia. O estudo dos arcanos parece ter sido reduzido a um assunto técnico e comercial. Os anúncios que despontam por toda parte nas redes sociais dizem coisas como: “aprenda a ler o tarot com segurança”, ou “torne-se um bem sucedido profissional do tarot”, e outros apelos lamentáveis que em nada libertam a consciência da prisão massificante e consumista da nossa sociedade! A proposta transgressora e libertadora que o estudo oculto propõe em si, e que impulsionou todos estes buscadores que citei anteriormente, está fortemente ameaçada. Que estejamos atentos para que sua chama permaneça viva!


terça-feira, 19 de janeiro de 2021

As Gerações de Urano

 As Gerações Renovadoras...

Urano em Câncer – 1949/1956 – 

A Família do Pós-guerra

Esta foi a geração que trouxe a modernidade para o núcleo familiar, tanto em níveis tecnológicos como a invenção do refrigerador, quanto sociais... Esta foi a geração do pós-guerra que com as baixas na 2ª grande Guerra Mundial viu as mulheres entrarem no mercado de trabalho, industrial inclusive, e virarem uma nova classe de trabalhadoras. Seus nativos mantem laços com a família, mas priorizam liberdade e espaço e cultivam uniões mais embasadas em afinidades intelectuais, mais do que só afetivas ou sociais. Urano traz a esses nativos maior flexibilidade nos papéis tradicionais dos membros da família. Da mesma forma essa é uma geração mais preparada, e que abriu caminho, para as outras formações familiares não convencionais dos tempos atuais.

Urano em Leão – 1956/1962 – 

A Arte Psicodélica

A psicodelia invade a arte e se torna a 
maior expressão da cultura pop dos anos 60/70.


Esta posição de Urano traz a irreverência e a ousadia como formas de chamar a atenção não só por si mesmo, mas para os temas que estão transformando o mundo. Durante sua passagem novas tendências musicais e artísticas surgiram como forma de experimentação da criatividade humana. Essas pessoas amam a própria liberdade, e adoram fazer experiências de criação e descoberta. Poderão ter uma tendência à teimosia e ao orgulho intelectual, além de uma tendência de se tornarem os catalisadores dos problemas do seu grupo familiar ou de trabalho, pois sempre acham que sabem o que fazer para ajudar ou “transformar” as coisas. Muitas vezes sua inventividade poderá mesmo solucionar as crises, outras poderá piorar muito tudo!

Urano em Virgem – 1962/1968 – 

Inovações na Saúde e na Tecnologia

Sua passagem trouxe a erradicação de muitas doenças que eram flagelos na humanidade, atiçou os movimentos trabalhistas e estudantis para a transformação da vida comum! Surgem os primeiros computadores e o conceito de qualidade de vida! As pessoas com Urano nessa posição gostam do conceito de eficiência aliada à praticidade e agilidade. Tendem a simplificar as coisas, ou a sintetizar qualidades para se obter o novo, produto ou serviço, claro e simples, sem perder a precisão... Independente da sua área de atuação eles gostam da ideia de contribuírem com o mundo através dos seus talentos aplicados a um serviço. Amam a pesquisa e a análise, e as abordagens criativas na elaboração de projetos ou na solução de problemas! 

Urano em Libra – 1968/1975 – 

O Amor Livre e a Reforma da Justiça

Nessa época começa o debate sobre a igualdade de direito civil entre os sexos, e até mesmo no âmbito dos relacionamentos. O casamento tradicional é questionado e as parcerias de vida em comum ganham força. Começa o “discutir a relação” que perdura até hoje. As pessoas nascidas neste período possuem um natural senso de justiça para tratar dos temas humanos e sociais. Acreditam que os relacionamentos precisam de espaço para as liberdades pessoais e que todas as pessoas devem participar dos temas comuns à comunidade, desde as pequenas como famílias e associações, às grandes como as classes trabalhadoras e a sociedade como um todo! São incomuns e livres na sua forma de se relacionar, tanto nas amizades como no amor.

Urano em Escorpião – 1975/1981 – 

O Auge da Guerra Fria

SALT II, o segundo acordo para controle de
armas nucleares assinado pelo presidente norte
americano Jimmy Carter e o soviétco
Leonid Brezhnev, em 18 de junho de 1979.


A espionagem entre nações e as conspirações governamentais foram a tônica desta passagem de Urano, mas também o foi as pesquisas de vida pós-morte, e de quase morte. A psicanálise se populariza e, por outro lado, pessoas famosas começam a assumir que gostam de práticas ocultas, como consultas oraculares diversas. Os nativos desse aspecto possuem uma atração imensa pelos temas profundos da vida, amam o oculto e os temas transcendentes, mas podem padecer de um eterno vagar interno passando por muitas e radicais transformações em suas vidas pessoais, que podem dificultar criar vínculos com pessoas ou lugares. Gostam de superar limites, e ajudar os outros com isso, mas temem mostrar os próprios sentimentos e desejos.

Urano em Sagitário – 1981/1988 – 

O Positivismo e a “Autoajuda”

Durante este trânsito de Urano a sociedade se volta as para abordagens mais positivistas, engrandecedoras, e alternativas no modo de se viver coisas. A religiosidade é revigorada com, por exemplo, a popularização de apetrechos religiosos como rosários e crucifixos. Surgem os autores de livros positivistas sobre a transformação da consciência e da própria saúde. Aparecem os relatos de pessoas que se curaram mudando sua perspectiva de vida. Os nativos dessa posição de Urano acreditam nas liberdades pessoais, nos modos de vida alternativos e na interação com outras culturas, quer seja viajando, quer seja estudando sobre elas. E acreditam na renovação e na flexibilização dos conceitos religiosos sem descartá-los de todo.

Urano em Capricórnio – 1988/1996 – 

O Despertar das “Novas Potências”

Quando Urano transita por Capricórnio, o mundo vê a ascensão do Japão como superpotência econômica e a China se organizando para se tornar a potência econômica, política e científica que vemos hoje. O Brasil cria o plano real e logo também figura entre as dez primeiras economias do planeta. Essa posição de Urano traz nos seus nativos o influxo interno para mudar o status quo dos sistemas previamente implantados, e uma tendência a sempre inovar (Urano) com planejamento e método (Capricórnio). Há nesses nativos uma confiança extrema no seu modo de fazer as coisas, e de estarem sempre certos! Além de uma tendência a querer imprimir novas abordagens e tecnologias para acelerar processos rumo ao progresso. Buscam mudanças para um bem comum, e a implantar ideias de progresso mais éticas e humanitárias.

Urano em Aquário – 1996/2002 – 

As Células-Tronco e o Uso do Celular

As Celulas tronco aparecem como a grande promessa
para a cura de mais de 80 doenças!

Nesse período a telefonia móvel apareceu conectando rápida e facilmente as pessoas, e a ciência deu um salto com a descoberta das células-tronco que abriu a possibilidade da cura de muitas enfermidades. Essa posição de Urano traz uma rebeldia natural e maior coletividade. Apreciam o novo e aceitam o diferente com mais naturalidade. Por outro lado sua militância pode radicalizar e chegar ao ponto de criar uma repressão liberal. Têm pouco apreço por tradições e coisas ancestrais. A inteligência e a capacidade de renovar-se com celeridade pode facilitar a queda desta sombra. Valoram o gênero humano e menos os apetrechos sociais ou étnicos. São inventivos, criativos, e revolucionários, mas cheios de rompantes bruscos nas relações.

Urano em Peixes – 2003/2011 – 

A Geração das Redes Sociais

Durante essa passagem de Urano é que surgiu o movimento das redes sociais como o Orkut (2004), Facebook (2004), Twitter (2006), e Instagram (2010). As redes sociais encurtaram distâncias e criaram movimentos de massa para promover ou repudiar certos tipos de comportamento.  Essa geração traz um sentimento de totalidade para a perspectiva de vida no planeta, um sentimento de que o sofrimento de todos importa, e de que ninguém é menos importante. Amplia a visão sobre a espiritualidade e renova os preceitos religiosos no sentido de derrubar dogmas. Por outro lado pode dificultar se libertar do sentimento de grupo (ou manada). Coisa que vemos hoje claramente representada nos jovens envolvidos em movimentos políticos radicais.


segunda-feira, 21 de dezembro de 2020

Estados Alterados de Consciência no Tarot...

As conexões psíquicas variam conforme cada vivência
ou conforme os instrumentos que a estimulam...

Monica Sjöö (1938/2005) foi uma artista plástica, pagã e feminista sueca muito influente nos anos 60 e 70, que se dedicou nos estudos ocultos à pesquisa dos estados alterados de consciência em todos os níveis. Em seu livro Tarot – Uma História Crítica, Cynthia Giles cita uma interessante teoria de Sjöö: Segundo ela as leituras de tarot proporcionam leves estados alterados de consciência devido à interação dos seus símbolos arquetípicos com a psique, tanto do intérprete dos arcanos quanto do consulente. Segundo diz duas pessoas ao se reunirem para uma sessão de leitura têm suas vidas como duas linhas paralelas colocadas frente a frente, assim que a interação com os arcanos se inicia estas duas linhas são interceptadas por uma terceira linha vertical que as cruza, criando uma simbiose momentânea que durará o tempo da sessão de leitura. Isso explicaria, por exemplo, porque tarólogos com percepções diferentes do simbolismo dos arcanos podem fazer leituras bem pontuais para uma mesma pessoa. Como quando aquele que vê a carta de A Morte como uma ação transformadora, quanto o outro que a vê como uma crise de saúde física ou psicológica podem ler para uma mesma pessoa em momentos diferentes, com esse arcano aparecendo na leitura nas duas vezes, e ainda assim as interpretações serem precisas! Naquele momento a psique do leitor e do consulente estão unidas e, pela sincronicidade, as cartas a serem dispostas na mesa se arranjarão antecipadamente para que expressem o exato conjunto de vivências de quem se consulta, dentro da perspectiva de quem as está lendo, ou interpretando se preferirem... 

Leituras de tarot, um momento de esclarecimento interior 
através do acesso à fonte do Grande Inconsciente Coletivo.

E isso pode acontecer com qualquer outro sistema oracular, embora as teorias de Sjöö tenham sido dirigidas especificamente à prática do tarot. Algumas pessoas mais sensíveis relatam, desde sempre, que sentem “certas coisas” quando vão ler as cartas. Alguns falam num certo torpor. Outros de uma leve vertigem, e há ainda os que sintam um leve peso nos olhos... Ainda mais se for a primeira vez em que fazem esse tipo de consultoria. Eu mesmo senti isso muitas vezes durante minhas primeiras incursões no mundo da cartomancia, tanto quando ia ler as cartas do baralho Lenormand com minha querida tia Lourdes, como quando eu mesmo estava abrindo as cartas de um baralho de tarot nas minhas primeiras aventuras na tarologia. Quando comentei isso para minha tia ela disse: “Ah, é o teu canal que está abrindo!”. Confesso que nunca mais tive essas sensações com tanta intensidade, mas recentemente quando fui consultar o Maha Lilah pela primeira vez, veio de novo aquele leve torpor sonolento. Essa teoria de Sjöö faz um sentido absoluto para mim. Desde que consultei cartas pela primeira vez fiquei intrigado com quando minha tia lançava as cartas e aparecia A Cruz do Lenormand, ela falava em vitória certa e confiança. Mais tarde conheci outra excelente leitora do Lenormand, uma senhora chamada Julieta para quem A Cruz representava muita luta antes de uma vitória real... As duas eram precisas em suas avaliações intuitivas sobre meu momento de vida, bem como em seus prognósticos, mas aquilo me intrigava. 

A Cruz, a 36ª carta do baralho Lenormand.

Com o tempo passei a creditar tudo à atuação da sincronicidade e da força dos arquétipos, mas parecia que faltava algo ali no meio. Essa teoria de “linhas de consciência”, nome que eu mesmo inventei, pareceu se encaixar com perfeição para explicar esse movimento mágico que ocorre quando buscamos pessoas diferentes ao longo da nossa jornada por esclarecimento interior. Saliento aqui, mais uma vez, o que já disse algumas vezes: não aconselho ninguém a ficar pulando de um a outro leitor de oráculo, seja ele qual for! Claro que isso pode acontecer ao longo da nossa vida, mas me refiro àquelas pessoas que compulsivamente experimentam muitos leitores, ainda mais quando ficam insatisfeitas com as respostas. As informações podem ser as mesmas, mas as orientações podem divergir causando imensa confusão e angústia numa mente que, com certeza, já deverá estar atribulada!

Leia também: Que Tipo de Tarólogo Você é? 


quarta-feira, 2 de dezembro de 2020

Uma Carta de Mensagem...

A Rainha de espadas,
do Visconti-Sforza tarot.
Arauto da lucidez tanto quanto 
da moralidade em
todos os tempos.

Normalmente eu termino minhas leituras com uma carta de mensagem final, como um ponto final naquele trecho da história íntima de quem veio buscar os arcanos, e uma síntese de tudo o que o tarot quis transmitir sobre aquele momento e suas vivências. Faço isso desde sempre, acho um fechamento interessante para as minhas leituras. Pois bem, esta semana atendi uma cliente de muitos anos que está vivendo um intenso relacionamento com um homem comprometido. Já no final da consulta ela conta que ele está cada vez mais direcionado para a relação dos dois, e o tarot confirma isso, e a tal ponto que, segundo ela, quando se encontram ele “sai do ar”. As filhas ficam procurando por ele via whatsapp querendo saber onde ele está que some por tardes inteiras quando eles estão juntos... Ele e a esposa possuem uma relação de quartos e vidas separadas há anos, dentro de um casamento agonizante. Quando ela pediu uma mensagem final para encerrar a consulta saiu a Rainha de espadas, que no Tarot Zen tem o nome de “Moralidade”. Quando falamos em moral temos muitas conotações negativas, e de fato toda moral, seja ela conservadora ou liberal, é opressiva! Antes a moral priorizava as instituições familiares, por isso certos grupos de pessoas eram rechaçadas como amorais. Se uma pessoa questionasse a importância da castidade antes do casamento era taxada de imoral imediatamente, mesmo que fosse apenas um questionamento. Hoje a nova moral liberal prioriza o respeito ao indivíduo, e se alguém questionar se não há exageros ou vitimismo na defesa de certas causas essa pessoa também é chamada de imoral dentro de novos termos como racista, machista, homofóbico, xenófobo, etc... E assim por diante. Então a moral tem esse paradoxo, ela é necessária tanto quanto possui tendências claramente fascistas, pois que não aceita questionamentos. Mas são justo os questionamentos que trabalham para que a moral se torne cada vez mais justa, equilibrada. Na Rainha de espadas eu sugiro trocar o termo “moralidade” por respeito. Pois bem, essa Rainha é a água que evapora sob os ventos frios de um deserto gelado, um simbolismo que sugere um olhar para além das neblinas das nossas emoções. Ela veio para alertar que era importante ela resgatar uma atitude mais respeitosa dele para com as pessoas que ele ama. Esse homem é pré-diabético, hipertenso e some com ela em plena pandemia deixando as filhas angustiadas para saber onde ele está... Há respeito nisso? Ela pode dizer com toda a certeza de que ele não fará isso com ela um dia? A mim pareceu que a Rainha de espadas veio justamente para que ela estabelecesse com ele as bases do tipo de relacionamento que quer para si mesma. Ou seja, um olhar mais racional sobre sua própria emocionalidade. Eu senti também que ele não se dá em conta do egoísmo da sua felicidade, mas transmiti que era importantíssimo ela não deixar isso passar em branco, pois ficaria difícil cobrar isso depois...


sexta-feira, 6 de novembro de 2020

Um Cavaleiro e Dois Valetes

Os Cavaleiros do tarot, uma
força poderosa de transformação!


No começo do segundo semestre deste ano um cliente veio para sua primeira leitura de tarot comigo, um homem na faixa dos 50 anos (muitos homens procurando o tarot durante essa quarentena), que na cruz central do sistema da Cruz Celta tinha uma dicotomia: Valete de paus cruzado pelo Cavaleiro de espadas... Ele estava dividido entre levar a vida de um modo mais leve e tranquilo, com mais atenção a si mesmo e seus familiares, mas se sentia também compelido a abraçar uma empreitada desafiadora que surgira em sua vida. Essa empreitada aparecia na posição do trabalho como o Valete de ouros, indicando uma nova direção profissional que exigiria muito investimento, e sem nenhuma previsão de como ou quando “aconteceria” de fato... Tinha a carta de A Estrela na posição do desafio, isso minava suas esperanças e sua confiança em fazer tal investimento. No fechamento da Cruz Celta aparecia o 6 de espadas indicando que ele guardava expectativas pesadas sobre o desfecho futuro do novo trabalho... O homem sorriu e confirmou dizendo que ele estava de fato estudando para um concurso em que sequer sabia quando abriria as inscrições para as provas, e como já estava estudando há dois anos se questionava se valeria a pena, pois já havia passado tardiamente para um cargo publico muito bem remunerado, mas que lhe tirou tempo de lazer e, sobretudo, da família. Estava se vendo na mesma situação outra vez depois de tanto tempo! Por vezes achava que devia mesmo era descansar, porém era compelido a abraçar desafios. Estava se achando velho demais para mais tanto esforço e estudo, investindo muito tempo e dinheiro no material didático... Queria saber se valia a pena. O Rei de paus deu a resposta, ocupando a posição do apelo da alma, ele era aquela voz que dizia a ele: “Vale e pena, vai dar tudo certo!”. Meu cliente confirmou mais uma vez dizendo que ouvia aquela voz frequentemente...