sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Os Amantes - Arcano VI

Título Esotérico – Os Filhos da Voz; O Oráculo dos Deuses Poderosos (A mente dual sempre aberta a sugestões e indicações externas; A consulta ao coração – mestre ou guia interior – que reflete planos superiores de consciência que nos dirigem à evolução).

Analogia Astrológica – Gêmeos (O 3º signo), o signo que assinala o fim da primavera no Hemisfério Norte, quando enfim as flores já brotaram e os insetos e animais saem do casulo e do ventre, ou dos ovos. Uma vez livres eles começam a explorar e conectar-se com o mundo que os cerca. Por isso este é o signo da curiosidade, da comunicação e das relações interpessoais com o meio, bem como da multiplicidade de possibilidades que confundem, muitas vezes, a razão.

Analogia Numerológica – O 6 como a cifra da perfeição. O único número simples que ao ser desmembrado em suas partes é reunificado plenamente. Juntando sua sexta parte (1), mais sua terça parte (2), mais sua metade (3), o temos íntegro novamente! É o número do amor, da união e da família bem como da busca pelo entendimento e pela perfeição na existência. Seu símbolo esotérico é a estrela de seis pontas, também chamada de Selo de Salomão. Essa estrela é símbolo do povo judeu, que se manteve unido mesmo diante das maiores privações, e do próprio rei Salomão, conhecido por sua sabedoria ao tomar decisões!

O Arcano – Um homem jovem está cercado por duas mulheres, seu rosto está inclinado para a Mulher morena à sua direita, mas o seu corpo inclina-se para a mulher loura à sua esquerda. Ele usa uma túnica com listas verticais nas mesmas cores das roupas das mulheres, mas com o acréscimo do amarelo! O jovem é louro e sobre sua cabeça aparece um anjo bebê entre uma luz fulgurante que mira seu coração com uma flecha prestes a ser disparada! A mulher loura à sua esquerda aponta justo para o seu coração, enquanto a da direita aponta para o chão ou, segundo algumas interpretações, para seus genitais.

Significado – Este arcano é o que assinala a entrada no mundo adulto das escolhas e, portanto, da responsabilidade pessoal. A mulher à direita do rapaz parece estar apontando para o chão, o mundo concreto e racional dos fatos, mesmo para os que alegam que ela aponta para o seus genitais isso simboliza ainda o mundo pragmático dos instintos. A mulher da esquerda, por sua vez, parece estar atentando para os ditames do seu coração e as aspirações da alma! O rapaz por si só representa o impulso da vida que quer se manifestar, mas que para isso precisa escolher um caminho, uma forma de fazê-lo. E não adianta, tudo na vida são escolhas! Da roupa que usamos para sair de casa, à carreira, do cônjuge, ao partido político, do local de férias, ao local onde escolheremos passar o fim dos nossos dias. Fazemos escolhas o tempo todo. De fato a mulher à direita da figura central tem uma roupa vermelha com mangas azuis. Ou seja, há o predomínio do prático e do instintivo, em contrapartida com a predominância do azul (afetivo, espiritual e profundo), com detalhe em vermelho na roupa da mulher à sua esquerda. O aparecimento do amarelo na sua túnica, que combina as duas cores de suas parceiras, indica a necessidade do uso do discernimento intelectual tanto quanto da intuição profunda para tomar a decisão diante do impasse que se apresenta. As cores de sua túnica são as mesmas da luz radiante que envolve o ser angelical sobre sua cabeça! O que indica não só que sua inspiração vem do alto, de sua consciência superior, mas também que ele está perfeitamente sintonizado com ela. A posição do personagem central sugere que, até que seja resolvida a ambiguidade, haverá um envolvimento na duplicidade desta situação, por um curto ou longo período de tempo dependendo de cada situação. A figura alada envolta em luzes acima do trio é Eros o deus do amor, e do desejo. Ele era comumente representado como um bebê alado, que também era a forma dada aos querubins, a ordem angélica que na Cabala corresponde a sephira de Chokmah, ou Sabedoria. Aha! Podemos dizer assim. Fica claro então que a mescla de Eros com os anjos da sabedoria divina indicam que o verdadeiro saber vem do coração, que segundo algumas tradições, como a gnóstica no ocidente, é a morada da divindade em nós! Assim sendo dizer “Siga o seu coração” não é apenas um refrão poético, mas também uma verdade espiritual! Mesmo que seja um erro a escolha levará ao amadurecimento da consciência, moldando a personalidade, extraindo do indivíduo o máximo de si mesmo, tanto seus talentos quanto o conhecimento de suas limitações! Ou seja, nossas escolhas revelam quem somos e nos elevam ao nosso autoconhecimento. É importante então escolher aquilo que se ama. Daí este ser o arcano das escolhas de vida tanto quanto do amor e do romance.

Os Amantes no Osho Zen tarot.
Divinação – Decisão, ou impasse a ser decidido, uso do livre-arbítrio. Decidir tendo como base aquilo que se ama ou acredita. Capacidade de executar duas ou mais tarefas ao mesmo tempo, de desdobrar-se. Envolvimento, namoro, amor, romance, atração. Proposta de novas possibilidades ou caminhos. Convites. Associações e parecerias. Afinidades que nascem do coração. Consultar outras fontes em que se confia para decidir ou resolver algo. Tornar-se aberto a outras opiniões. Sociável, envolvente, simpático. Tornar-se acessível ao próximo. Negativamente é o arcano das indecisões ou da dúvida persistente de que tomou ou não a decisão certa! É o “Maria vai com as outras”, incapaz de decidir sozinho ou assumir posturas diante de situações críticas. Não assume sua opinião. O dependente, que tanto pode ser afetivo ou material mesmo! Aquele que não se garante sozinho. O vacilão! O tipo influenciável, ou estar sofrendo influências que o resto do jogo dirá se são ou não desejáveis ou benéficas! Esta é a carta das triangulações amorosas, tanto proibidas (infidelidade) quanto consensuais. Todo o tipo de indefinição e pendência está sob sua égide, inclusive as de cunho político, legal e até mesmo sexual, como no caso da bissexualidade.

Personagem do Cinema – Sofia Zawistowski (interpretada por Meryl Streep), no filme A Escolha de Sofia de 1982. Ela é uma mãe polonesa presa num campo de concentração por tentar contrabandear presunto para sua mãe moribunda. É forçada por um soldado nazista a escolher um dos seus filhos para morrer na câmara de gás, o menino Jen ou a menina Eva. Caso se recusasse a escolher os dois seriam executados. Ela escolhe o menino por ser mais forte, mas nunca mais o vê. Muda-se para o Brooklyn decidida a esquecer de tudo o que passou. Um jovem aspirante a escritor Stingo (interpretado por Peter MacNicol) chega à Nova York em 1947 e conhece sua vizinha Sofia e seu parceiro Nathan (interpretado por Kevin Kline), com quem ela vive uma relação de céu e inferno, mas sem nunca comentar com ele nada do que viveu nos campos de Auschwitz. O rapaz se envolve com o casal sem ter nenhuma noção da instabilidade do homem e dos segredos da mulher. Com o tempo ambos começam a se sentir atraídos um pelo outro e mais uma vez Sofia deve escolher, e desta vez entre o amor do atual companheiro e a atração pelo jovem recém-chegado. Ela se divide entre acreditar que Nathan e sua esquizofrenia e uso frequente de drogas serão “curados” um dia, e enfrentar a realidade de um jovem que está longe de ser um conto de fadas. Romance, decisões difíceis e dubiedades constantes são temas centrais de Os Amantes, que são focados de modo intenso e brilhante neste filme.

Um comentário:

  1. Otima dica de filme, isso que é viver uma vida cheia de encruzilhadas. Bom domingo!

    ResponderExcluir