terça-feira, 24 de dezembro de 2013

O Mago - Arcano I

Título Esotérico – O Mago do Poder (O acesso direto ao poder da divindade interior que se amplia a níveis superiores cada vez mais e mais).

Analogia Astrológica – Mercúrio (Regente de Gêmeos e Virgem) rege todas as formas de comunicação e o uso da inteligência. É a capacidade do cérebro de acumular conhecimento, catalogar, discriminar e dispor das informações quando necessário, em milésimos de segundo. Simboliza a versatilidade, a sagacidade, a capacidade de aprender, de instruir-se e instruir a outros de modo rápido e eficiente! Por ser o planeta mais próximo do Sol e o mais rápido do sistema solar, foi associado ao antigo deus grego dos comerciantes e viajantes, Hermes, que era considerado o conhecedor dos mistérios superiores e seu maior tradutor. Pois era o único capaz de entrar e sair do Olimpo e dos reinos sombrios de Hades, e que conseguira enganar o seu irmão Apolo (o Sol)! A ambivalência de suas funções o tornou uma espécie de ponte entre o mundo físico e o espiritual e entre o mundo dos deuses e dos homens, o sagrado e o profano. A Sua regência dos mistérios ocultos deu origem à palavra “hermetismo” para definir os conhecimentos tidos como profundos e esotéricos! Também diz-se que uma coisa está hermeticamente fechada quando não pode ser abordada de modo direto, ou superficial. 
Símbolo de Mercúrio.
Curiosamente há uma incrível semelhança entre a imagem do arcano de O Mago como ela aparece no tarot de Marselha, e baralhos afins, e o símbolo astrológico do planeta mercúrio. O semicírculo superior assemelha-se ao chapéu, o círculo intermediário ao movimento dos braços de O Mago, e a cruz inferior com a mesa à sua frente!


Analogia Numerológica – O 1, o número que origina todos os outros, e que simbolicamente representa a origem de tudo que há! Seu símbolo esotérico é o círculo com o ponto no meio, a consciência centrada em si, ao mesmo tempo em que criadora de tudo o que existe ao redor de si. O criador. O multiplicador. Aquele que faz as coisas acontecerem. O 1 traz em si a possibilidade de manifestar qualquer coisa, bem como de atrair e realizar tudo! Um axioma da geometria diz que “por um ponto passam infinitas retas” e assim o 1 é a origem de tudo o que existe e também é a onisciência, a onipresença e a onipotência! Na Cabala é Kether, a Coroa. A presença de Deus-Pai-Mãe, criador de todas as coisas. A luz do infinito que não pode ser apreendida e ou compreendida por ninguém que permaneça em Malkut, o plano físico dos instintos.

O Arcano – Um jovem rapaz de cabelos louros e encaracolados está em frente a uma mesa. Ele olha para o seu ombro direito, e na sua mão esquerda ele dispõe de uma espécie de pequena vara. Na sua mão direita ele segura uma moeda dourada! Ele usa um curioso chapéu de abas largas que desenham uma leminiscata, o símbolo algébrico do infinito. A parte superior do chapéu é verde. Sua roupa é multicolorida, com todas as cores primárias que são retratadas no tarot de Marselha, mas em perfeito equilíbrio e proporcionalidade! Na sua mesa há vários objetos como facas, dados, moedas, copos e uma chaleira. Estranhamente esta mesa está posicionada de tal modo que só três de suas pernas aparecem! Embaixo, entre as suas pernas, um broto viçoso de grama desponta do chão árido.

Significado – A figura do jovem homem de pé alude à disposição célere do espírito em perfeita sintonia com sua verdade interior ou com uma grande Verdade Superior. Nos baralhos franceses este arcano se chama Le Bateleur, ou prestidigitador, que designa um malabarista, acrobata ou ilusionista. Na maioria das vezes, porém, ele é chamado de The Magician. Palavra em inglês que tanto define Mago, no sentido de um grande iniciado nos mistérios, quanto mágico, um simples ilusionista. Acho que assim é mais adequado! Afinal, muitos dos que tentarem desenvolver os atributos de O Mago talvez cheguem mesmo a ser Magos. Outros, entretanto, nunca passarão de mágicos! Sua posição ereta transpassa disposição, estado de alerta, consciência. O seu gesto com os braços e mãos alude ao gesto iniciático de conexão com o mundo superior ou cósmico que reverbera em ações e consequências no plano material, simbolizados pela vareta, que lembra a varinha mágica dos magos e bruxos, e a moeda dourada que alude às riquezas da terra. Esses dois elementos, assim como os demais sobre a mesa, evocam os quatro elementos da magia. A varinha é o fogo. A moeda e os dados são a terra. A chaleira e os copos são a água e as facas o elemento ar. Arthur Edward Waite explicitou isso no seu baralho, o Rider-Waite, colocando claramente os quatro objetos da magia sobre a mesa de seu Magician! O chapéu com a forma do símbolo do infinito marca sua conexão com os planos superiores da consciência ou do espírito, ou ambos! O chapéu é verde, a cor do acesso à verdade, da fertilidade, do progresso e da regeneração. A mesa é muitas vezes referida como o plano do mundo físico, e as três pernas seriam uma referência ao tempo e seu movimento trifásico, começo, meio e fim ou passado, presente e futuro que sustentam e ordenam a realidade como a concebemos! A mensagem é clara aqui, O Mago intervém nesta realidade usando seus talentos e habilidades internas. E é isso que está representado na folha verde brotando de um solo desértico! O seu talento poderá ser elevado ao nível de genialidade, que é a máxima expressão de O Mago. Como disse Arthur Schopenhauer: “Talento é quando um atirador atinge o alvo que os outros não conseguem. Gênio é quando um atirador atinge o alvo que os outros não veem”. Este arcano detém o poder de desenvolver quaisquer habilidades dos outros vinte e um arcanos maiores por ser o uno, a grande força que origina e rege todos os outros! Porém, quando todo este talento, ou gênio, é mal dirigido nasce o embusteiro, o manipulador, mentiroso, sedutor, o ladrão. A grande mente do crime tal como nas histórias em quadrinhos.

O Mago no Osho Zen tarot.
Divinação – O Gênio brilhante. O fazedor de milagres. O prodígio! Inteligência, comunicação. O aprendizado de idiomas. Grande poder de oratória. Domínio da língua mãe, ou de muitas línguas estrangeiras (um poliglota). Versatilidade, o jogo de cintura para negociações. Expressão fluente de um talento. Realizar uma ação com grande habilidade. Execução exímia! A capacidade de fazer muitas coisas simultaneamente, ter muitos interesses ou habilidades diversificadas. Uma personalidade cujos dons e talentos atingiram notoriedade em seu meio. A capacidade de tornar-se o centro de uma atividade, de um grupo de pessoas ou da atenção de alguém! Rege as profissões que criam, relacionam, comunicam ou mesclam as coisas. Tais como jornalismo, comunicação em todas as suas formas (rádio, televisão, internet etc), publicidade, comércio, farmácia, química, pesquisa científica em todas as suas formas. Alquimia, magia. Literatura, dança, atletismo. Os conferencistas, palestrantes e ministros de igrejas com grande poder de influência por suas ideias e ou ideais expressos em palavras, também estão sob sua égide, entre outros! Espiritualmente ele simboliza a presença da divindade dentro de cada um de nós que nos permite a ascensão em todos os sentidos, ou a realizar feitos que muitas vezes nos parecem impossíveis! Negativamente é o enganador, o mentiroso, o ladrão. Aquele que se aproveita da ingenuidade ou a falta de conhecimento do outro para tirar-lhe proveito! E com relação a isso o lado sombrio de O Mago, assim como seu lado luminoso, pode se expressar em qualquer atividade humana.

Personagem do Cinema – Jesus Cristo interpretado por Robert Powell no filme Jesus de Nazaré do diretor italiano Franco Zeffirelli, de 1977. Não poderia haver personagem melhor para representar os atributos arquetípicos de O Mago no cinema do que o próprio Jesus! Se deixarmos a paixão religiosa de lado veremos certas “coincidências significativas” na história de Jesus com relação ao mundo mágico! Ele é visitado e reverenciado por três reis magos que vieram da Pérsia. Terra de Zaratustra, ou Zoroastro em grego, que denominava seus mais altos sacerdotes de magi, ou Magos. Os Magos da religião conhecida como Masdeísmo eram capazes de dominar os elementos e criar fenômenos, mas sempre de modo ético em respeito às leis da natureza e para elevar a consciência o homem à luz da perfeição divina. Sim, eles eram monoteístas. Os reis magos eram astrólogos e vieram seguindo uma profecia de Zoroastro que viram representada num aspecto astrológico nos céus. Depois salvam a vida de Jesus quando um dos reis magos sonha com a traição que Herodes pretendia cometer matando o menino Jesus! Daí em diante toda vida de Jesus é um verdadeiro testemunho do seu poder de oratória e a capacidade de suas palavras de inspirar espiritualmente, por meio de suas parábolas, desde simples pescadores à homens bem nascidos. Dá seu primeiro sermão aos onze anos de idade! Sem falar nos seus muitos milagres como transformar água em vinho, multiplicar os pães e os peixes, andar sobre as águas e ressuscitar Lázaro!

2 comentários:

  1. Gratidão! Aguardava a chegada de cada Arcano, acompanhei todas as postagens, me deliciando com essas aulas e quero agradecer por essas lições de tarô. Belíssimo trabalho! Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Mari pelo carinho! Suas palavras me estimulam a continuar escrevendo sobre a linguagem simbólica do tarot! Valeu! Porém, continue seguindo as postagens, pois ainda tem o texto de apresentação da estrutura geral dos arcanos maiores como eu fiz para os arcanos menores, mas isso só me janeiro de 2014. Aliás, Feliz ano Novo! Um grande abraço!

      Excluir