terça-feira, 28 de julho de 2015

Lendo com 3 Cartas

O triscal, símbolo do movimento que rege a vida.

Um dos mais simples e versáteis métodos de leitura de tarot é o de três cartas, suas muitas versões e possibilidades é o que pretendo explorar aqui. Originalmente usado para perguntas rápidas veremos que este método pode ir mais além! O procedimento é simples, embaralhe e retire do maço 3 cartas que poderão seguir uma das duas ordens abaixo conforme a natureza da questão formulada:



A primeira disposição é a mais conhecida e se refere aos três tempos, Passado, Presente e Futuro numa sequência da esquerda para a direita. E, geralmente, é uma tiragem feita para se avaliar o desenvolvimento de uma situação para o futuro, serve a questões do tipo: “Como ficará meu relacionamento, empreendimento, sociedade”? etc. A segunda disposição se refere a uma avaliação da interação entre duas forças, tendências ou personalidades! E isso quer dizer que foca mais no presente, e em como as coisas estão, e aponta uma direção sobre como agir. A posição 1 fica à esquerda e se refere a Tese, ou o que favorece a situação. A posição 2 fica à direita e se refere à Antítese, ou ao que desfavorece a situação, e a posição 3, que se localiza no centro do jogo, é o resultado desse confronto, a Síntese. Muitos nomeiam também como Situação, Discussão e Sentença... Pode haver muitas variantes, mas a ideia é a mesma. Esse sistema se aplica a perguntas do tipo: Como está meu relacionamento, empreendimento, sociedade”? etc. Outra forma bem conhecida do uso das três cartas é aquele em que o leitor pede ao cliente para que corte o maço em três montes antes da leitura, como uma forma de trazer a energia do consulente para o agora. Muitos tarólogos e cartomantes complementam essa abertura virando os maços que se formam para cima, e lendo as primeiras cartas ou arcanos que passam a representar o Corpo, a Mente e o Espírito do cliente naquele momento! Como uma síntese do que ele está vivendo e trazendo para a consulta. Técnica usada por minha querida tia Lourdes Crippa que foi uma grande cartomante, e que certa vez aos meus catorze anos abriu suas cartas para mim dizendo que eu ia trabalhar com cartas, mas que ela dizia não serem cartas como as que ela usava (um baralho Lenormand). Ela nunca tinha visto até então um jogo de tarot, e dizia intrigada que eu ia palestrar sobre essas cartas, escrever e ensinar a outros, e que ia viver disso... Trinta e dois anos depois eis eu aqui...! Faço desse texto minha homenagem saudosa à minha querida e altamente intuitiva, tia e amiga, Lourdes.


Baralho Lenormand.

O sistema de se usar as três cartas para avaliar os campos básicos da vida e da personalidade humana, corpo, mente e espírito, também pode ser usado como uma leitura geral em momentos em que há pouco tempo para uma leitura mais abrangente e profunda. Como acontece em eventos como feiras esotéricas, ou em seminários e congressos holísticos pelo mundo afora. Um bom modo de se fazer isso é se utilizando apenas dos arcanos maiores na leitura. Esse método nos permite ver a interação simbólica entre duas ou mais cartas por meio da interpretação dos seus números. Para o sistema de 3 cartas entenderemos então o Corpo como a vida material e financeira, caso queria especificar sobre saúde retire mais uma carta do maço. A Mente seria relativo aos planos, pensamentos, ideias e preocupações, mas que dependendo dos arcanos que saírem pode se referir à vida afetiva do cliente. E, por fim, a posição do Espírito se referiria às aspirações mais íntimas, aos sonhos e ideais, e a busca espiritual do indivíduo em relação ao momento. Vejamos esse exemplo de um amigo que me pediu para dar uma olhadinha no seu momento de vida:




Muitas atividades pareciam estar solicitando a atenção do meu amigo, e também exigindo dele flexibilidade ao lidar com tais situações (Os Amantes). Ele parecia compenetrado em realizar suas atividades, sem muito tempo para as questões sociais e românticas (O Eremita). O clima de sua vida no momento parecia ser a de uma cruzada contra si mesmo para vencer os seus limites e crescer financeira e pessoalmente (A Força)!

O Arcano Oculto

Ao somarmos as cartas aos pares a interpretação pode ficar mais clara ou confirmar o que já foi dito. Ao somar o 6 de Os Amantes com o 9 de O Eremita, obtemos o 15 de O Diabo. O que confirma que a compenetração do meu amigo tinha a ver com sua necessidade de reunir recursos e não com as outras “paixões” deste arcano. Ao somarmos 6 de Os Amantes com o 11 de A Força obtemos o 17 de A Estrela. O que me fez pensar que seu empenho em se desdobrar teria muito a ver com sua preocupação com os seus anseios sobre o futuro! Ao somarmos, por fim, o 9 de O Eremita com o 11 de A Força obtemos o número 20 de O Julgamento, o que demonstra que seu foco aliado à sua vontade aguerrida de vencer traria vitória certa em seu objetivo! Somando agora todas as três cartas do jogo, 6 + 9 + 11 = 26 = 2 + 6 = 8. O 8 é o arcano de A Justiça. O que fecha muito bem o esquema simbólico, representando um momento de retidão, decisões racionais, e de esforço consciente para manter o equilíbrio pessoal diante das demandas que se apresentam. Entendi também que A Justiça alertava para que o equilíbrio fosse mantido no sentido de não se prolongar essa retirada da vida afetiva e interior para além do necessário. Nesse ponto da nossa leitura meu amigo balançou a cabeça dizendo que estava se perguntando justamente isso, se já não era hora de “tirar o pé do acelerador” e voltar a viver um pouco!
Vejam só como a leitura de três cartas pode ser mais profunda do que se imagina, e é claro que isso não se dá por acaso. O complexo simbolismo dos arcanos do tarot, e sua imensa flexibilidade arquetípica, proporcionam essas viagens fascinantes pela vida e a alma humana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário