sexta-feira, 16 de agosto de 2013

A Força - Arcano XI

Título Esotérico – A Filha da Espada Flamejante (Os poderes intensos e radiantes que jazem dentro da psique).

Analogia Astrológica - Leão (O 5º signo), simboliza o poder criador que habita dentro de cada homem e que anseia por expressão. É o verbo divino-criador “Eu Sou”, que ao ser afirmado coloca o indivíduo no centro do universo onde tudo pode ser acessado, atraído ou manifestado. É a força criadora, centralizadora e realizadora da vontade imbuída de um propósito interior e força bem estruturada.

Analogia Numerológica – O indivíduo absolutamente centrado em si (1 e 1), quer seja pela vontade ou pelo autoconhecimento, encontra um outro poder oculto dentro de si (2). Ou a polaridade yang (1) que ao atingir seu máximo vira o seu oposto (2), como ensina o I Ching.  Como quando uma arte de guerra (luta) como o Kung Fu ou o Aikido viram filosofias de desenvolvimento e crescimento espiritual.

O Arcano – Uma jovem mulher trajando uma capa vermelha como a dos antigos viajantes, e usando uma espécie de vestido azul, segura um leão com as duas mãos pela boca. Ela usa ainda um chapéu em forma de leminiscata que lembra o chapéu do arcano de O Mago. Embaixo vê-se a ponta dos dedos do seu pé direito, o que denota que ela está fazendo força ao mesmo tempo em que está firmemente apoiada. O leão apesar de totalmente subjugado não parece estar sofrendo. Ele exibe uma bela juba dourada, a mesma cor das magas fofas que a donzela usa. Outro detalhe curioso é a de que a mulher abre a boca do animal na exata altura de sua vagina.

Significado – A mulher por si só tem sido a representação simbólica mais comum das coisas sutis do homem, como sua alma, sua sabedoria e inspiração. O fato de ela estar enfrentado o leão (tradicionalmente associado à ideia de poder, força, coragem e nobreza), indica tanto uma luta furiosa onde a civilização, a sutileza e a sabedoria ganharam a batalha, como o encontro de forças interiores que se pronunciaram quando necessárias. Esse encontro com as forças interiores podem ter um significado tanto psicológico quanto espiritual. No primeiro a fera interior e sua fúria viram vontade, força e ação dirigidas a um objetivo. No segundo um processo de comunhão entre a parte animal e divina do homem o elevam e o tornam poderoso em todos os sentidos. Como o que acontece com a subida da kundalini, em que a energia bruta da sexualidade ao subir vai se refinando, e ao chegar ao topo no 7º chakra, o Sahashara, transforma-se num poderoso despertar espiritual e consequente iluminação. Esse simbolismo aparece bem claramente em ela abrir a boca do leão à altura de sua vagina ao mesmo tempo em que usa um chapéu com a forma de leminiscata, símbolo matemático do infinito que também alude às forças espirituais superiores, igual ao Mago. Esse por sua vez possui esse contato de forma direta e constante, enquanto que a Força faz esse contado por intermédio de uma vitória sobre si mesmo ou sobre alguma coisa! A capa vermelha é a representação dessa nova força e energia da qual a donzela está imbuída. É a afirmação do “eu”, ou das forças superiores que se expressam através dele. Tudo isso, porém, requer tanto empenho quanto constância! Este arcano rege os feitos heroicos a que se propunha o guerreiro interior no arcano VII O Carro. Todas as lendas que retratam esses feitos estão sob sua égide. Como no mito da deusa sumeriana Inanna que desce aos reinos infernais de sua irmã Ereshkigal para pedir sua ajuda. Esta exige que ela se apresente nua, ou seja sem seus poderes, como sinal de confiança e boa vontade. Apesar de todos os avisos Inanna vai ao encontro de sua irmã sombria despindo-se de seus trajes e berloques mágicos.  Ao encontrá-la percebe que ela está transformada em meio mulher, meio leão. A deusa do submundo a ataca, e mata Inanna dentro do dos seus domínios. Após alguns dias a própria Ereshkigal a ressuscita e diz que ao renascer dentro do mundo sombrio ela levaria consigo parte do seu poder, que somado aos seus poderes já existentes a tornariam uma rainha e deusa ainda mais poderosa! O que parecia uma traição foi na verdade uma benção, o reino dela e o de sua irmã agora eram uma coisa só. Assim a jovem Inanna volta ao mundo da luz para enfrentar e vencer indubitavelmente seus adversários! Partes desse mito muito antigo se expressam também no mito grego de Hércules e o Leão de Neméia, e no conto de fadas francês A Bela e a Fera. Em todos eles ao abraçar a fera interior encontramos grande poder, força, prazer ou amor nunca antes vividos. Sua força bruta é dirigida para a realização de algo que sem ela seria impossível! Por simbolizar as forças brutais da existência o leão faz da donzela de A Força o arauto da consciência humana dominando o seu destino, representado anteriormente no arcano de A Roda da Fortuna.

A Força no Osho Zen tarot.
Divinação – Autoconfiança, força e poder pessoal. Feitos admiráveis, grandiosos. Reconhecimento, aplauso. Magnetismo, exuberância, podendo emanar grande elegância e suave sex appeal, ou uma sexualidade fortemente pronunciada. Por isso é também o arcano da atração sexual, pois emana o animal interior para o mundo exterior. Persuasão, sedução. Eloquência, veemência. Afirmação dos desejos e vontades pessoais. Tipo: “eu quero, eu posso, eu consigo”! A não aceitação de predestinações, fatalismos, ou arbitrariedades de qualquer espécie. O tipo de personalidade que luta para obter o que quer e que obtém êxito na grande maioria das vezes. Pode indicar exatamente isso, uma vitória depois de muito esforço e luta. O espírito aguerrido e lutador de alguém que quer “vencer” na vida, indo além dos limites que as circunstâncias ou a sociedade aparentemente lhe impuseram. Romper barreiras, transpor obstáculos. Realizar conquistas. Negativamente é como uma criança mimada que faz exigências o tempo todo porque quer ser satisfeita, sem se importar se o outro pode ou não atendê-la. O ego infantilizado, arrogante, presunçoso, chauvinista. Aquele que “se acha o cara”. Exibicionista, gosta de mostrar seus feitos e provar o tempo todo o seu valor. Não aceita críticas ou opiniões ao seu modo de ser e agir, reagindo negativamente. A dramaticidade exacerbada, aliás, é outro aspecto de sua sombra, que se bem dirigido pode revelar talentos cênicos latentes.

Personagem do Cinema – Ruth, interpretada por Roseanne Barr na comédia Ela é o Diabo, de 1989. Ruth é uma mulher, gorda, feia e desalinhada que faz de tudo para agradar ao marido, mas é abandonada por ele. Bob (Ed Begley Jr.), o faz de modo mais cruel e humilhante possível. Ele a troca por Mary Fisher (Meryl Streep), uma escritora de romances de segunda categoria, conhecidos como romances-cor-de-rosa, a quem ambos haviam conhecido num jantar. Ruth decide se vingar seguindo um plano traçado por ela cujos itens vão sendo riscados à medida que são realizados! Trata de descobrir os podres da vida pessoal de Mary e do trabalho de Bob, que é contador. Ela também cria uma agência de prestação de serviços para mulheres que precisam de uma segunda chance. A agência faz enorme sucesso e Ruth torna-se uma mulher poderosa e influente, usando dessa influência em sua vingança. Ao final ela arruína a carreira de Mary, põe Bob na cadeia e parte para viver sua vida como uma nova mulher. Apesar de o filme ter elementos dos ardis vingativos do arcano de O Diabo e a determinação firme e o planejamento do arcano de O Carro, a paixão com que Ruth se lança na empreitada, a inabalável autoconfiança inédita que ela adquire, e o poder pessoal que ela acessa são típicos do arcano de A Força. Na última cena do filme, curiosamente, a personagem aparece usando uma capa vermelha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário