sábado, 8 de dezembro de 2012

A Mentira Holística




Por mais que o tempo passe, e por mais que eu depois de mais de duas décadas envolvido com o ocultismo, o holismo e a espiritualidade tenha conhecido todo o tipo de gente, teorias e modismos, sinto que de vez em quando as coisas vão mesmo longe demais! Agora estamos enfrentado um nova “onda”, de cursos de “formação” de terapeutas holísticos. Pode ter coisa mais mentirosa, charlatã e enganadora? Como assim formar um holístico? Holismo é uma consciência não uma técnica! As técnicas denominadas holísticas assim são consideradas por conterem em sua prática uma consideração aos outros níveis do ser e da consciência de um indivíduo, mas qual desses cursos pode garantir que os novos formandos estão plenamente cientes da essência de um trabalho holístico? Mais ainda, qual desses cursos de formação pode garantir que tais pessoas vivam dentro dessa consciência? Claro que eles se defenderão dizendo, “Bem, isso não é de nossa competência”, o que até é verdade, como também não é de sua competência formar alguém como um terapeuta holístico. 

Holismo, um despertar repleto de confusões.

Um médico pode ser um terapeuta holístico mesmo que continue atuando na medicina convencional, sem nunca ter participado de uma panaceia chamada “Curso de Formação de Terapeutas Holísticos”, para isso ele tem de incorporar em si mesmo a consciência de que somos unidades compostas por muitas multiplicidades, de que a vida não se encerra apenas no plano físico e de que qualquer auxílio de cura é um paliativo enquanto o paciente não se conscientizar da necessidade de evoluir não só em termos físicos, financeiros e morais, mas também espirituais, conscienciais e energéticos! É preciso que como um seguidor dessa filosofia e consciência ele também entenda que sua própria evolução continua, de que não há uma condição de superioridade com seu paciente porque ele desconhece os termos que o médico domina, mas sim de troca, onde um auxilia o outro a crescer através do seu saber intelectual e sensitivo e o outro auxilia o curador a crescer pelo exemplo de sua dor e sofrimento. Simples assim! E por falar em médicos vejam só o que aconteceu este ano em São Paulo quando o Conselho Regional de Medicina desse estado resolveu testar os recém-formandos do curso, e o que viu foi a maioria esmagadora dos alunos ser reprovada! Foram considerados sem condições de exercer o ofício. Ora, estamos falando de medicina, uma ciência que como é considerada hoje é mais técnica que qualquer outra coisa e onde os alunos, assim como acontece em todo o mundo, são provenientes de famílias abastadas e, em sua maioria, com uma ótima formação intelectual que, teoricamente, embasaria um excelente resultado nesse estudo. Então o que dizer de um trabalho onde tudo é subjetivo e dependente não só do intelecto, mas também de um amadurecimento interior que nada tem a ver com cursos de pós-graduação, mestrados e MBAs? Como se pode certificar o crescimento espiritual de alguém? Como se pode atestar que alguém possui um canal interior conectado com níveis maiores de consciência e mais ainda certificar que usa esse canal de modo maduro e realmente consciente e espiritual?
A sabedoria, o resultado de uma imersão 
nas vivências tanto interiores quanto práticas
Os programas dos tais cursos então são um verdadeiro mercado das pulgas, uma loteria caótica de temas esotéricos e de cura holística, uma verdadeira afronta a uma mente minimamente inteligente. Num programa de até dois (“Puxa dois anos!” devem pensar os idiotas que mergulham nessa barca furada!) se encontra desde o curso de formação em terapia floral do Dr. Bach, como o de introdução à técnica do renascimento, o de tarot para o autoconhecimento etc. Uau! Os florais de Bach foram reduzidos a nada por serem “só” 38 flores, o renascimento, a linda terapia respiratória criada por Leonard Orr, foi reduzida a uma técnica de respiração pura e simples. E o tarot então?... Parece que tudo o que se precisa é decorar os significados contidos nas cartas! Quantos estudiosos dedicaram suas vidas inteiras a estudar e se aprofundar em um ou dois desses métodos de desenvolvido interior e cura? Cada um deles conta a trajetória de muitas vidas, o que auxiliou muitas pessoas a crescerem e a compreenderem melhor suas passagens por este mundo! Dr. Bach passou os últimos anos de sua existência estudando as muitas aplicações para suas essências florais o que, aliás, é um processo que continua em andamento no Instituto que leva o seu nome, e autonomamente por terapeutas que se dedicam a pesquisar suas flores! O que dizer então de Stuart R. Kaplan que vem estudando o tarot nos últimos 50 anos? Ele criou até uma enciclopédia sobre o assunto, e afirma que ainda hoje surpreende-se com as revelações dos arcanos tanto quanto com suas possibilidades de aplicação e criação artística!... 

O tarot, como todas as disciplinas ocultas 
e ou holísticas requer observação, 
prática e aprofundamento
Cada uma dessas matérias são oceânicas, e requerem tempo, dedicação, disciplina, e observação. O que essas pessoas acabam fazendo, e o digo por conhecer inúmeros casos, é que ficam pulando de uma técnica para outra conforme as tendências ou necessidades do público que eles conseguem angariar, ou enganar, já que a grande maioria está enganando a si mesmos! Não querem aprofundar nem contribuir nessas áreas do conhecimento em nada! No fundo são só capitalistas que não fizeram um despertar interior de fato! Estão seduzidos, alguns, pelo apelo de fazer parte da Revolução Silenciosa que é o que vem a ser Nova Era, enquanto outros são só oportunistas que viram nesse trabalho um novo nicho a ser explorado. Enquanto isso multidões de pessoas vão sendo atendidas por esses profissionais e saem desses encontros com resultados pífios, respostas confusas e com a forte impressão de que “essas coisas não funcionam mesmo!”. Um terapeuta holístico não é feito de formatação pedagógica, nem de certificados, mas sim de histórias de vida e experiências cheias de retificações que o levam a desenvolver um trabalho consistente e único! Ou seja, não nasce da noite pro dia. Não é formado, mas iniciado no sentido mais elevado da palavra, não é graduado é desperto, não é alguém que exerce uma técnica, é alguém que aplica um conhecimento com tanta paixão, dedicação, seriedade e reflexão que se torna, enfim, um sábio! E, sobretudo, é alguém que sabe que a sabedoria não é um título que se ostenta como uma medalha, ou um diploma na parede, é uma consciência que salta quando se conta a história de uma vida e quase sempre quando ela está perto do fim.

2 comentários:

  1. Obrigadaaaa!pensei que eu era doida,sempre trilhe este caminho de conhecimento e buscando aprimorar a leitura do oráculo como autoconhecimento e terapêutico.Faz 19 anos estudando e hoje vejo pessoas fazendo um curso de tarô e dizem que são terapeutas,abrem uma escola. Em fim sou capricorniana,sempre soube que tenho um tempo que é lento mais me achava lenta demais para a rapidez dos outros.O resultado ao longo deste tempo tem sido muito maravilhoso,más é bom saber que tem estudiosos e profissionais que vem,pensam,e sentem da mesma maneira.Obrigada e um ano de muita luz e sabedoria sempre.
    Lilián Freire Bechi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Lilián,o tempo é de fato um grande mestre e um excelente medidor de competências e comprometimento! Que 2013 seja de muita luz e paz para todos nós!
      Um grande abraço.

      Excluir