quinta-feira, 2 de maio de 2013

A Estrela - Arcano XVII


Título Esotérico – A Filha do Firmamento. Aquela que habita Entre as Águas (A consciência que habita entre o divino e o mundano e que cresce quando há uma interação entre ambos).

Analogia Astrológica – Aquário (O 11º signo). O signo do espírito comunitário e da convivência fraterna entre os homens. Corresponde a saída da humanidade da visão egoísta e sectarista do “meu” para a consciência abrangente do “nosso”. É por excelência o signo da renovação e das ideias revolucionárias. Ama a liberdade e o novo e tudo o que se refere a regras, limitações e tradições convencionadas o aborrece!

Analogia Numerológica – O indivíduo consciente (1) mergulhando em si mesmo ou nos conhecimentos ocultos (7) descobre o bem de uma verdade maior (8). O 8 é o número da conquista do equilíbrio pessoal e das verdades transcendentes. Sua forma lembra a leminiscata, símbolo matemático do infinito. O conhecimento da verdade centra a consciência e confere poder e autoridade pessoal.

O Arcano – Uma mulher nua está numa paisagem que tanto pode ser a entrada da manhã quanto o fim do dia, onde as estrelas ainda aparecem no céu enquanto a luz solar irradia fracamente. A sua volta há oito estrelas, sete pequenas estrelas circundam uma maior e esta paira sobre sua cabeça. A mulher despeja misteriosamente um vaso na terra e outro na água, sua face é serena e parece totalmente atenta ao que faz. Ao fundo vemos duas árvores e numa delas, a que está à sua direita e à esquerda do espectador, há um pássaro (que parece um colibri) sobre suas folhagens.

Significado – A nudez é um antigo símbolo de entrega, despojamento e do reconhecimento e aceitação da verdade! Podemos imaginar que a presente donzela estava presa no alto da torre do arcano anterior que tem o mesmo nome, A Torre XVI. Agora, livre da limitação das paredes do seu claustro, ela contempla uma realidade maior e percebe que faz parte dela. Os vasos derramados sobre a água e a terra simultaneamente simbolizam a purificação e a renovação das emoções e do corpo físico depois desta libertação. As árvores são comumente representações da ligação entre o céu e a terra, ou entre Deus e os homens. Os pássaros são o símbolo da liberdade e da elevação. O colibri é um animal típico da América do Sul e nas culturas indígenas ele é o símbolo da alma dos guerreiros que ascendem aos deuses após sua morte.  A contemplação das estrelas nos lembra da ligação misteriosa que o homem tem com o espaço e que suscita questões existenciais sobre sua origem e destino. Estar de joelhos sobre a terra, porém, nos remete a lembrança de que somos seres físicos e de que este mundo é nosso campo de desenvolvimento. Esse arcano revela muito mais do que uma conscientização da relação entre o macro e o microcosmo, mas uma interação entre esses dois mundos! Essa nudez em meio aos astros do sidéreo representa uma abertura ao porvir e à vida como um todo, de homens à animais e plantas, de seres terrestres à extraterrestres, e também a meditação como uma forma de experienciar o transcendente através da via interior. Compreendemos à partir deste arcano que somos todos um, e a fusão com esse “todo” é uma aspiração que faz parte de sua essência. O que só se realizará de fato no arcano XXI, O Mundo. Na Estrela é que atingimos a compreensão de que o que afeta o meu semelhante, animal ou humano e o mundo ao redor, logo me afetará também. Do mesmo modo torna-se aqui mais acessível a ideia de que há energias não físicas que podem afetar e até mesmo moldar o mundo material. A presença das sete estrelas é uma referência aos sete planetas da astrologia medieval e sua influência sobre os ciclos da vida humana. A estrela maior é a luz de uma nova percepção que traz esperança para o amanhã!

A Estrela no Osho Zen tarot.
Divinação – Paz, tranquilidade, luz, esperança, reflexões sobre o futuro individual ou das gerações vindouras. Convivência pacífica com uma comunidade. Encontrar grupos ou pessoa com quem se tenha afinação intelectual ou espiritual. Reunião entre pessoas, congressos, festas, shows, agremiações, associações, sindicatos, sociedades secretas, sociedades alternativas etc. Estar junto à natureza, campo ou praia. Interesse em ecologia, direitos humanos, direito dos animais, e também em astronomia, astrologia, radiestesia, ufologia e naturismo. A prática da meditação em todas as suas formas, para desnudar-se da mente e entrar no silêncio interior ampliando a própria consciência. Ritos junto à natureza. Wicca, xamanismo. Receptividade ampla às pessoas e tendências, o que por outro lado traduz-se em vulnerabilidade. É também a inocência, pureza, simplicidade, humildade, liberalismo, despojamento do ego! O ser comunitário que pensa no bem estar de todos ou num bem maior acessível ao coletivo. De modo geral os pontos energéticos do planeta e as sociedades alternativas que neles habitam são regidos por este arcano, de Findhorn (Escócia, UK) à Alto Paraíso (Goiás, Brasil), ou Sedona (Arizona, USA).

Personagem do Cinema – Jake Sully, interpretado por Sam Worthington, do filme Avatar de 2009. Ele é selecionado para substituir seu irmão gêmeo que faleceu no programa Avatar. É enviado para Pandora, uma lua de um planeta extraterrestre, onde vivem os Na’Vi, seres humanoides azulados de três metros de altura que vivem em perfeita harmonia com a natureza de Pandora. Os humanos chegam com intenções predatórias e belicosas que ameaçam a vida natural dos Na’Vi. Jake tem uma epifania com relação ao povo azulado e seu modo simples e respeitoso de conviver com a natureza. Isso se intensifica ao conhecer e se apaixonar Neytiri, interpretada por Zoë Saldaña, uma feroz guerreira Na’Vi, fato que o faz querer viver ente eles.

Nenhum comentário:

Postar um comentário